Com ajuda do payroll americano, maioria das bolsas da Europa fecha em alta – Jornal do Comércio

Entre as principais bolsas europeias, apenas a de Frankfurt fechou em baixa nesta sexta-feira, em um pregão marcado pelo efeito positivo sobre os mercados acionários globais do famoso relatório de emprego dos Estados Unidos (payroll), que apontou resultados melhores que o esperado.

O movimento para a ponta compradora ocorreu assim que o Departamento de Trabalho americano informou que o país gerou 313 mil empregos em fevereiro na leitura ajustada sazonalmente, muito acima da previsão de 205 mil.

A força conferida aos mercados europeus foi suficiente para ofuscar os temores em torno de uma eventual guerra comercial por conta da assinatura, ontem, pelo presidente dos EUA, Donald Trump, de decretos que tornam oficial a tarifação no país de 25% sobre a importação de aço e de 10% sobre a de alumínio. E levou os principais índices da Europa, que até então oscilavam perto da estabilidade e sem direção única, a marcar altas com relativa consistência.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,43%, aos 378,24 pontos. Na semana, o composto de ações acumulou ganho de 11,17 pontos (+3,04%).

Na bolsa de Londres, o FTSE 100 encerrou a sessão desta sexta-feira com avanço de 0,30%, aos 7.224,51 pontos. No acumulado da semana, subiu 154,61 pontos (+2,19%). Entre os principais destaques de alta no pregão de hoje estão as ações de empresas de mineração, como a Glencore (+1,79%) e a Alba Mineral Resources (+7,25%), e a petroleira BP (+0,67%).

Já na bolsa de Frankfurt, o DAX 30 não sustentou os ganhos gerados pela surpresa positiva com o payroll americano e chegou ao fim da sessão com baixa de 0,07%, aos 12.346,68 pontos. Na semana, contudo, o saldo ficou bem acima da linha d’água, com avanço de 432,97 pontos (+3,63%). Para os negócios de hoje, pesou a decepção local com a queda de 0,1% da produção industrial na Alemanha entre dezembro, quando a expectativa era de alta de 0,4%. Nessa praça, ações com peso relevante sobre o principal índice alemão exerceram sua parcela de pressão negativa, como nos casos da empresa de logística Deutsche Post (-1,22%) e da química BASF (-0,39%).

Em Milão, o FTSE MIB encerrou o dia com ganho de 0,06%, aos 22.745,60 pontos. Assim, chegou ao fim da semana de negócios com um avanço acumulado de 833,46 pontos (+3,80%). Essa significativa alta semanal não deixa de ser uma surpresa, já que vem logo após uma eleição em que nenhum partido conseguiu maioria absoluta para governar e deve desencadear, portanto, um longo período de negociações entre grupos políticos adversários. O destaque nesta sexta-feira ficou com os papéis do Banca Carige, que marcaram alta de 3,53%, e os da Telecom Italia, que avançaram 1,09%.

O índice CAC 40, da bolsa de Paris, fechou o pregão de hoje em alta de 0,39%, aos 5.274,40 pontos, e acumulou na semana um ganho de 137,82 pontos (+2,68%). Em Madri, o Ibex-35 avançou 0,41% nesta sexta-feira, para os 9.686,10 pontos, com alta acumulada de 155 pontos na semana (+0,16%). Já em Lisboa, o PSI-20 subiu 0,53% na sessão de hoje, para os 5.423,80 pontos, chegando a um avanço de 56,64 pontos na semana (+1,06%).

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!