Taxas futuras de juros têm viés de alta após IPCA – Jornal do Comércio

As taxas futuras de juros oscilam perto dos ajustes anterior, com viés de alta, após o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de fevereiro ter vindo praticamente em linha com a mediana das estimativas dos investidores. Um leve ajuste de alta do dólar ante o real no mercado à vista é monitorado nesta sexta-feira (9). 

O IPCA fechou fevereiro com alta de 0,32% ante um avanço de 0,29% em janeiro, levemente acima da mediana das estimativas do mercado financeiro, que era de 0,31%. Mais cedo, o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) também já mostrou em sua 1ª prévia de março uma alta maior, de 0,60%, ante +0,16% registrado na 1ª prévia de fevereiro.

O gerente de uma corretora disse que essas leves acelerações das altas dos índices de inflação não mudam a perspectiva de um corte na Selic neste mês.

Às 9h58min, o DI para janeiro de 2019 estava em 6,465%, de 6,454% no ajuste de quinta. O DI para janeiro de 2020 exibia 7,33%, de 7,32%, enquanto o vencimento para janeiro de 2021, o mais negociado, marcava 8,27%, de 8,25% no ajuste anterior. Já o DI para janeiro de 2023 estava em 9,17%, de 9,16% no ajuste de quinta.

No câmbio, o dólar à vista subia 0,03%, aos R$ 3,2635, após mínima aos R$ 3,2585 (-0,10%) e máxima em R$ 3,2640 (+0,06%). O dólar para abril caía 0,17%, aos R$ 3,2690.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!