IFI mantém projeção de crescimento do PIB em 2,7% em 2018 – Jornal do Comércio

A Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado Federal manteve as principais projeções para os indicadores macroeconômicos de 2018. A expectativa do órgão é que o setor público encerre o ano com um déficit primário de 2,06% do PIB, a mesma do relatório de fevereiro. A estimativa para o crescimento do PIB também foi mantida em 2,7%.

No relatório deste mês, a instituição destacou os dados do PIB de 2017, principalmente a recuperação do investimento, após 14 trimestres em queda, assim como o consumo, que segue em campo positivo.

A IFI chamou a atenção para a queda da indústria na composição do crescimento econômico nos últimos anos, assim como a arrecadação proveniente desse segmento. “A combinação de uma tributação relativamente mais elevada na indústria que nos demais setores, associada à retração de sua participação na economia, deve ter influenciado a trajetória das receitas”, destaca o documento.

A entidade destacou também as garantias concedidas pela União em 2017, que somaram R$ 301 bilhões, dos quais R$ 233,3 bilhões referem-se a operações de crédito, sendo R$ 176 bilhões a Estados. Com isso, a União teve que honrar R$ 6,4 bilhões em financiamentos não pagos, grande parte pelo Estado do Rio de Janeiro.

“O ideal é que haja parcimônia na concessão de garantias, mediante análise cuidadosa da situação do pretendente. Concedida a garantia, é preciso uma gestão adequada do risco, buscando antever as ocorrências que impliquem em despesa”, recomenda a instituição.

Outro destaque do relatório de março é em relação aos restos a pagar do Orçamento da União, que alcançaram R$ 155 bilhões, alta de 5% ante 2017. Apesar da elevação, a IFI afirma que a tendência é de queda, já que, em 2014 esse montante chegou a R$ 282 bilhões.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!