Juros futuros perdem força com dado de inflação dos EUA, após subirem com varejo – Jornal do Comércio

Após renovarem máximas mais cedo com o avanço das vendas no varejo restrito do País, de 3,2% em janeiro ante janeiro de 2017, levemente acima da mediana projetada pelo mercado (+3,0%), os juros futuros perderam força e renovaram mínimas na manhã desta terça-feira (13) em reação aos dados de inflação ao consumidor (CPI) dos Estados Unidos.

O CPI subiu 0,2% em fevereiro ante janeiro, em linha com o previsto, mas avançou 2,2% na comparação anual, pouco abaixo da estimativa de 2,3%. Também seu núcleo anual avançou 1,8%, ante previsão de 1,9%.

Esses índices de preços indicam que a economia norte-americana segue em crescimento, mas sem pressão descontrolada de demanda, o que pode levar o Federal Reserve (o banco central dos EUA) a manter o gradualismo na política monetária, disse um operador do mercado.

Já as vendas do comércio varejista brasileiro subiram 0,9% em janeiro ante dezembro, acima da mediana das projeções de 0,50%, após queda de 1,5% de dezembro. O resultado não muda a aposta dos investidores em mais um corte de 0,25 ponto porcentual da taxa Selic, para 6,50% ao ano, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) da próxima semana.

Às 9h57min, o DI para janeiro de 2019 exibia 6,455%, de 6,449% no ajuste de segunda-feira. O vencimento para janeiro de 2021 estava em 8,22%, de 8,23% do ajuste anterior. Já o DI para janeiro de 2023 marcava 9,15%, de 9,18% no ajuste de segunda-feira.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!