Rota 2030 não está maduro e não tem prazo para sair, diz Casa Civil – Jornal do Comércio

O Rota 2030, política industrial para o setor automotivo que deverá substituir o Inovar-Auto, ainda não está maduro e não há prazo definido para uma publicação da nova regra, segundo Marcelo Pacheco dos Guaranys, subchefe de análise e acompanhamento de políticas governamentais da Casa Civil. “O prazo é quando (a nova regra) estiver avançada e discutida. O Mdic (Ministério da Indústria e Comércio Exterior) tem uma preocupação com o tempo, mas o nosso tempo é quando estiver pronta a discussão”, disse Guaranys.

Em fevereiro, o ministro da Indústria, Marcos Jorge de Lima, havia dito que o programa seria lançado ainda naquele mês – o que não se concretizou. Segundo Guaranys, restam ajustes técnicos – por exemplo, ainda há uma discussão com a Receita sobre como vincular a cobrança de IPI a índices de eficiência energética. 

A declaração foi dada após debate, no instituto Insper, sobre estudos divulgados pelo Banco Mundial que fizeram duras críticas às políticas industriais do País. O relatório afirmou que esses programas não incentivaram a inovação nem a produtividade – seriam apenas subsídios que desencorajaram a entrada de novas empresas no mercado, levaram a um desperdício de recursos públicos e podem inclusive ter estimulado a corrupção.

Para as montadoras, as indefinições sobre o Rota 2030 já afetam os planos de investimentos. O setor anunciou R$ 16,7 bilhões em aportes no País até 2022.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!