Ibovespa sustenta os 86 mil pontos, mas giro segue fraco – Valor

SÃO PAULO  –  A tendência de baixo volume de negociações no Ibovespa teve continuidade nesta quarta-feira (14), com o giro financeiro ficando abaixo dos R$ 8 bilhões pelo terceiro dia consecutivo. Em meio ao marasmo, o índice terminou o dia em queda, mas sustentou os 86 mil pontos, auxiliado pelo bom desempenho da Vale.

O volume financeiro do Ibovespa totalizou R$ 6,91 bilhões na sessão de hoje, ante giro de R$ 7,09 bilhões, na de terça (13), e, de R$ 6,83 bilhões, na segunda-feira (12) — são os três menores volumes de março. Em 2018, a média diária de negociações está em R$ 8,71 bilhões e, desconsiderando os pregões desta semana, o giro médio é de R$ 8,82 bilhões.

Nesse contexto, o Ibovespa fechou em queda de 0,39%, aos 86.051 pontos, após oscilar entre a máxima de 86.970 pontos (+0,68%) e a mínima de 85.691 pontos (-0,8%). Com o desempenho de hoje, o índice acumula alta de 0,82% em março e de 12,63% em 2018.

A retração no Ibovespa só não foi maior graças às ações ordinárias da Vale, que terminaram em alta de 1,12% e tiveram o maior volume financeiro do dia, com R$ 768 milhões. Uma combinação entre dados da economia chinesa — considerados melhores que o esperado — e a recuperação no preço do minério de ferro após oito quedas consecutivas impulsionou os papéis da mineradora.

Apesar do bom desempenho da Vale, o clima nos mercados globais foi de cautela, com as bolsas americanas fechando em queda. Os temores quanto à postura protecionista do governo Trump e os atritos comerciais entre Estados Unidos e China fizeram com que os investidores assumissem uma postura defensiva.

Destaques

No Brasil, esse clima de apreensão foi refletido no setor bancário. Segundo um operador, o segmento passou por um movimento de realização de lucros após as recentes altas, o que derrubou Banco do Brasil ON (-0,86%), Itaú Unibanco PN (-2,23%) e Bradesco (-0,54%).

Entre as maiores altas do dia, destaque para o setor de papel e celulose, com Suzano ON (+5,49%) e Fibria ON (+3,64%) liderando os ganhos. Na ponta oposta, os papéis da Eletrobras tiveram as maiores perdas: as ações PNA recuaram 7,36%, enquanto as ONs caíram 6,86%, em meio aos temores de resistência política ao processo de privatização da estatal.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!