Meirelles apresenta nomes para sucedê-lo na Fazenda – Jornal do Comércio

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, apresentou no domingo, dia 11, ao presidente Michel Temer os nomes de seus secretários Mansueto Almeida (Acompanhamento Fiscal) e Eduardo Guardia (Executivo) para sucedê-lo na pasta caso decida disputar o Palácio do Planalto.

Temer já havia sinalizado ao ministro que ambos articulariam juntos sua eventual substituição, mas essa foi a primeira vez que houve um debate concreto sobre assunto, durante reunião no Palácio do Jaburu.

O movimento mais assertivo de Meirelles, porém, não define sua candidatura – o presidente não garantiu que o ministro poderá concorrer à sua sucessão pelo PMDB e a decisão do chefe da equipe econômica sobre disputar ou não a eleição de outubro deve ser tomada nos próximos 15 dias.

O ministro tem medo de deixar o cargo para viajar pelo País e tentar aumentar seus números nas pesquisas – hoje ele aparece com apenas 2% – e, em julho, Temer decidir ser candidato à reeleição. A jogada inviabilizaria o projeto eleitoral de Meirelles e o deixaria em uma espécie de limbo político: estaria fora do governo e filiado a uma sigla que não deu sustentação para sua candidatura.

Com o calendário mais flexível – ao contrário do ministro, o presidente não precisa deixar o cargo até abril se quiser se candidatar -, Temer foi evasivo em suas análises sobre as eleições e ainda ponderou que o ministro Dyogo Oliveira (Planejamento) também aparece entre os cotados para a Fazenda, com o apoio do presidente do PMDB e líder do governo no Senado, Romero Jucá. Apesar disso, auxiliares afirmam que o presidente vai permitir que Meirelles escolha seu substituto caso deixe o posto para concorrer ao Planalto.

Meirelles deve marcar um encontro com Jucá ainda esta semana para sentir a temperatura da indicação e discutir sua possível filiação ao PMDB. O ministro disse a Temer e ao ministro Moreira Franco (Secretaria-Geral), que também estava na reunião de domingo, que seu desejo é ser o candidato do partido à presidência, mas ouviu, mais uma vez, que eles não podem garantir a vaga de antemão.

Meirelles está conversando com seus auxiliares próximos antes de bater o martelo sobre sua candidatura. Ele já disse que tem disposição de defender o legado de Temer e ser o nome do governo na disputa, mas esbarrou no desejo do próprio presidente de ser esse candidato.

 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!