União Europeia espera que os países do bloco sejam isentos de tarifas dos EUA – Jornal do Comércio

O Vice-presidente da Comissão Europeia, Jyrki Katainen afirmou nesta quarta-feira (14) no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, esperar que todos os países da União Europeia sejam excluídos das tarifas à importação dos Estados Unidos ao aço e ao alumínio. “A UE e os EUA são fortes aliados históricos”, lembrou. “Nós acreditamos e defendemos uma economia de mercado sem distorções, bem como aberta, baseada em regras e com comércio justo.”

Katainen afirma que, nos últimos anos, os Estados Unidos e a UE sofrem com o dumping de outros países no comércio de alumínio e do aço, “em grande parte da Ásia”. Segundo ele, isso ocorre em grande medida por causa do excesso de capacidade, sobretudo da China, impulsionado por grandes subsídios domésticos. Como resposta, o bloco europeu e os americanos adotaram tarifas antidumping contra o aço e o alumínio da China, o que é autorizado pela Organização Mundial de Comércio (OMC). Para a autoridade europeia, o problema ainda existe e por isso as autoridades continuam a enfrentá-lo.

O vice da Comissão Europeia, porém, ressalta que a UE deve ser excluída das novas tarifas dos EUA. “Nós acreditamos que nossas exportações não causam qualquer ameaça à segurança dos EUA”, afirmou, rebatendo a argumentação dada pelo presidente americano, Donald Trump, para justificar a medida.

A comissária Cecilia Malmström, por sua vez, lembrou no mesmo evento que as tarifas dos EUA devem entrar em vigor na noite entre 22 e 23 de março. Ela lamentou sua adoção e disse que as tarifas baseadas na segurança nacional podem minar o sistema de comércio multilateral. Segundo ela, as autoridades americanas presentes em uma reunião no último sábado não deram clareza sobre a possível exclusão da UE das tarifas. As duas partes seguem em contato em busca de mais clareza, acrescentou.

Malmström disse que a UE pode acionar a OMC, caso seja de fato afetada pelas tarifas. Lembrou, porém, que um processo do tipo leva tempo, por isso o bloco avalia ações mais imediatas. A UE ainda irá proteger seu mercado do excesso de importações de aço e alumínio, acrescentou, caso os EUA se fechem. Segundo ela, o bloco europeu “suspeita” que a medida americana não é baseada em considerações sobre a segurança nacional, mas sim uma salvaguarda econômica disfarçada. A comissária europeia disse que o bloco quer evitar uma escalada nessa disputa e não deseja uma guerra comercial, “mas temos de proteger os interesses de nossos cidadãos e nossos empregos”.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!