Bolsas da Europa fecham em alta, com notícias do setor corporativo em foco – Jornal do Comércio

As principais bolsas europeias fecharam majoritariamente em alta nesta quinta-feira (15), com alguma ajuda do noticiário corporativo para ofuscar incertezas em relação ao aprofundamento da postura protecionista dos Estados Unidos e às tensões diplomáticas entre o Reino Unido e a Rússia.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,52%, aos 376,88 pontos.

Em Londres, o FTSE 100 encerrou o dia com avanço de 0,10%, aos 7 139,76 pontos. Pesou sobre a atmosfera local a tensão em torno das medidas anunciadas por Downing Street como consequência da convicção de que a Rússia está por trás do envenenamento de um agente duplo de origem russa no Sudoeste da Inglaterra. O movimento positivo das bolsas de Nova York, porém, ajudou o mercado local. Entre as ações mais negociadas, Polemos subiu 5,00% e Lloyds avançou 0,16%. Entre as mineradoras, Vast Resources também se destacou, com ganho de 4,96%.

Na bolsa de Frankfurt, o DAX 30 fechou com ganho de 0,88%, aos 12.345,56 pontos, ajudado pelos setores de seguros e de automóveis. No primeiro, após anunciar previsão de aumento dos lucros em 2018 e uma recompra de ações no valor de 1 bilhão de euros, a resseguradora alemã Munich Re viu suas ações dispararem 2,78% na sessão, enquanto as da Allianz subiram 1,88%. Já entre as montadoras, o bom humor veio da informação de que, em fevereiro, os registros de novos automóveis na zona do euro aumentaram 4,8% na comparação anual. Os papéis da Volkswagen tiveram alta de 2,74%, os da BMW ganharam 1,13% e os da Daimler avançaram 1,10%.

Na bolsa de Paris, o índice CAC-40 teve alta de 0,65%, a 5 267,26 pontos. Entre os bancos franceses, Société Générale caiu 0,67%, mas Crédit Agricole avançou 0,48%. Vivendi registrou ganho de 2,69%,

Em Milão, o FTSE-MIB avançou 1,16%, a 22.713,47 pontos. Um destaque foi Telecom Italia, que subiu 2,83% após o fundo afirmar que deseja mudanças de alguns dos integrantes do conselho da telefônica, inclusive o executivo-chefe. Intesa Sanpaolo subiu 0,68% e ENI, 0,82%. Saipem, por sua vez, caiu 0,15%.

O índice IBEX-35, da bolsa de Madri, foi na contramão da maioria e recuou 0,04%, a 9.684,20 pontos. O papel do Santander caiu 0,30% e Nyesa Valores recuou 4,19%, entre as mais negociadas, e Abengoa B avançou 0,89%.

Em Lisboa, o índice PSI-20 avançou 0,38%, a 5.440,80 pontos. Banco Comercial Português caiu 0,10%, mas Altri e EDP Renováveis tiveram ganhos de 0,31% e 0,27%, respectivamente.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!