Melhora na bolsa e venda de ações ajudam ganho do Bndes em 2017 – Jornal do Comércio

Impulsionado pela melhora no mercado financeiro, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) fechou 2017 com lucro de R$ 6,18 bilhões. Segundo o banco, o ganho foi fortemente influenciado pelo resultado de suas participações societárias, que tiveram crescimento de 249,5% no ano.

O lucro em 2017 foi 3,3% menor do que no ano anterior. A queda reflete a redução da rentabilidade da carteira de títulos e dos ganhos com operação de crédito. A área de intermediação financeira rendeu R$ 14,97 bilhões no ano, 42,1% a menos do que em 2016.

No balanço divulgado ontem, o Bndes diz que a venda de ações de sua carteira durante 2017 rendeu R$ 3,67 bilhões, 249,5% a mais do que no ano anterior. Durante o ano, o banco se desfez de suas participações em CPFL, Marfrig, Rumo, Lojas Americanas, Equatorial e Braskem. A carteira remanescente também se valorizou, fechando o ano em R$ 81,67 bilhões, alta de 4,4%, provocada principalmente pela valorização de Vale e Petrobras no período.

O Bndes tem uma lista de 19 empresas com ações listadas no nível 1 da BM&FBovespa disponíveis para venda, entre elas Petrobras, Eletrobras e Vale, com valor contábil total de R$ 64,44 bilhões. A JBS não faz parte desta carteira: está incluída na lista de coligadas, empresas nas quais o Bndes tem participação relevante e participação na gestão. Em 2017, o ativo total do Bndes totalizou R$ 967,52 bilhões, queda de 1% em relação a 2016.

Em 2017, o volume de pagamentos de dívidas foi superior ao de desembolsos feitos pelo banco, levando a uma redução de 10,3% na carteira de crédito da instituição. O banco informou que houve redução de R$ 2,45 bilhões na provisão para risco de crédito, que vinha crescendo com a crise financeira mas começa a ceder.

Em dezembro de 2017, a inadimplência superior a 30 dias foi de 2,12% frente aos 2,81% em dezembro de 2016. No caso da inadimplência superior a 90 dias, o Bndes saiu de 2,43% em dezembro de 2016 para 2,08% em dezembro de 2017, mantendo-se abaixo da média dos bancos.

A carteira de participações societárias chegou a R$ 81,67 bilhões em dezembro de 2017, crescimento de 4,4% (R$ 3,42 bilhões) no ano, decorrente principalmente da valorização de R$ 9,118 bilhões da carteira de participações em sociedades não coligadas, especialmente dos investimentos na Vale e Petrobras.

No último dia de 2017, o Tesouro Nacional e o FAT (Fundo de Amparo do Trabalho), e PIS (Programa de Integração Social) e o Pasep (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público) representavam 48% e 32%, respectivamente, das fontes de recursos do Bndes.

A dívida com o Tesouro foi reduzida 5,4% (R$ 23,78 bilhões), em função do pagamento antecipado de R$ 50 bilhões. Também em 2017, foram liquidados antecipadamente R$ 9,29 bilhões de recursos do Fundo PIS/Pasep.

 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!