Ainda não há guerra comercial, mas ambiente preocupa, afirma gerente do BID – Jornal do Comércio

O gerente do departamento de integração e comércio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Antoni Estevadeordal, afirmou durante evento em São Paulo nesta sexta-feira, 16, que o quadro no comércio internacional sugere certa cautela. Na opinião dele, porém, não se pode falar em uma guerra comercial aberta. “Ainda não é o caso de se falar em guerra comercial, mas obviamente é um ambiente preocupante”, avaliou.

Estevadeordal deu a declaração durante apresentação na qual discutia o quadro comercial para a América Latina e o Caribe. A apresentação durante um seminário organizado pela Câmara Espanhola de Comércio ocorre após os EUA anunciarem tarifas à importação de aço e alumínio, que podem gerar um impacto importante em países da região, notadamente o Brasil.

A autoridade do BID também citou outros riscos ao comércio global, como as incertezas trazidas pela saída do Reino Unido da União Europeia, o chamado Brexit, e o episódio da saída dos EUA da Parceria Transpacífico (TPP, na sigla em inglês). Também disse que acompanha o processo encabeçado pela China da Nova Rota da Seda. Para o BID, há incertezas sobre como será a arquitetura comercial global no futuro.

Nesse quadro, Estevadeordal defendeu que os países da região busquem aprofundar acordos comerciais e citou o caso da Aliança do Pacífico. Na avaliação dele, o principal ganho com essa iniciativa não foi o corte em tarifas, mas sim a livre circulação de insumos, que permite maior dinamismo econômico e ganhos regionais. O dirigente do BID argumentou que um acordo entre a Aliança do Pacífico e o Mercosul proporcionaria uma circulação ainda maior desses insumos.

Sobre o Brasil, Estevadeordal lembrou que o País tem ainda acordos importantes pendentes. Na região, ele destacou o fato de que o Brasil não possui acordo comercial com o México, que poderia ser um grande parceiro. Ele comentou ainda os casos da América Central e do Caribe, que apesar da proximidade geográfica mantêm trocas comerciais modestas com a América do Sul.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!