Bolsas da Europa sobem com inflação, mas tensões com Rússia seguem no radar – Jornal do Comércio

As principais bolsas europeias fecharam em alta nesta sexta-feira e, à exceção de Londres, acumularam ganhos na semana, com o fôlego conferido hoje pela leitura de fevereiro do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro.

De acordo com o Eurostat, o CPI subiu 1,1% na medição anual, ante expectativas de alta de 1,2%. A subida menor do que o previsto é mais uma sugestão de que o Banco Central Europeu (BCE) não deve ter pressa em desmontar a atual política de relaxamento quantitativo (QE, na sigla em inglês).

Assim, o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou o pregão em alta de 0,22%, aos 377,71 pontos. Na semana, entretanto, acumulou perda de 0,53 ponto (-0,14%).

Em Londres, o FTSE 100 fechou em alta de 0,34%, para os 7.164,14 pontos, mas, no acumulado da semana, recuou 60,37 pontos (-0,84%). O forte avanço dos preços do petróleo nesta sexta-feira impulsionaram as ações da petroleira BP, que tiveram ganho de 1,98%. Os papéis dos bancos Lloyds e Barclays, por sua vez, subiram 1,05% e 1,21%, respectivamente.

Vale ainda o destaque para as ações do Nex Group, que dispararam 30,35% hoje, na esteira de relatos de que um dos maiores operadores de câmbio do mundo, o CME Group, está considerando fazer uma oferta para adquirir a empresa de tecnologia financeira britânica.

Na bolsa de Frankfurt, o DAX 30 encerrou a sessão com avanço de 0,36%, para os 12.389,58 pontos. Assim, acumulou na semana um ganho de 42,90 pontos (+0,35%). O composto foi ajudado pela alta de 0,90% das ações da Siemens, que está entre as de maior peso sobre o índice, e das montadoras Daimler (+1,36%), BMW (+0,87%) e Volkswagen (+0,70%).

O CAC-40, principal índice da bolsa de Paris, teve na sessão de hoje uma alta de 0,29%, para os 5.282,75 pontos. Na semana, chegou a um avanço acumulado de 8,35 pontos (+0,16%). Já o FTSE-Mib, da bolsa de Milão, encerrou o dia em alta de 0,63%, aos 22.857,69 pontos. No acumulado da semana, o índice italiano teve avanço de 112,09 pontos (+0,49%).

O Ibex-35, da bolsa de Madri, fechou o pregão de hoje com ganho de 0,79%, aos 9.761,00 pontos, acumulando na semana uma alta de 74,90 pontos (+0,77%). Por lá, destacaram-se os bancos, com as ações do Santander avançando 1,97% e as do CaixaBank subindo 1,83%, mas também os papéis da Telefónica (+1,81%) e da empresa de energia Abengoa (+3,62%).

Já o PSI-20, da bolsa de Lisboa, caiu 0,09% nesta sexta-feira, para os 5.435,94 pontos. No acumulado da semana, contudo, subiu 12,14 pontos (+0,22%).

Os fatores marcantes dos últimos dias, contudo, foram mesmo as tensões no comércio global e na geopolítica – e a perspectiva é que os temores de investidores se estendam até a semana que vem.

Sob o primeiro aspecto, as incertezas têm origem na Casa Branca. Não se sabe ainda se o início de uma guerra comercial está próximo ou distante diante da indefinição sobre os países que serão atingidos pela tarifação à importação de aço e alumínio decretada na semana passada pelo presidente americano, Donald Trump, e se essas nações anunciarão retaliações.

Na outra esfera, o Reino Unido angaria a cada dia novos aliados na empreitada contra a Rússia pelo atentado contra um ex-espião russo e sua filha no sudoeste da Inglaterra, envenenados há 12 dias com um agente neurotóxico e, atualmente, hospitalizados em estado grave.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!