França e Alemanha buscam superar diferenças sobre o futuro da zona do euro – Jornal do Comércio

Os ministros das Finanças da França e da Alemanha trataram sobre suas diferenças para o futuro da zona do euro, em reunião em Paris nesta sexta-feira. As autoridades se comprometeram a definir diretrizes para o futuro do bloco até junho.

O ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire, e o da Alemanha, Olaf Scholz, que foi nomeado há pouco tempo, falaram antes de uma reunião mais tarde nesta sexta-feira entre a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, Emmanuel Macron.

“A amizade é também reconhecer diferenças que devem ser resolvidas”, afirmou Le Maire, após a reunião. “Nós colocamos uma série de diferenças concretas sobre a mesa que têm consequências significativas e eu garanto que vamos resolvê-las.”

Macron defende uma reforma profunda na União Europeia e exige o maior compartilhamento de recursos e responsabilidades na zona do euro, que segundo ele é necessário para proteger o bloco de uma crise futura.

Durante um longo período de incerteza política em Berlim, porém, os planos de Macron ficaram estagnados. As autoridades francesas esperam que a visita de sexta-feira de Merkel e Scholz marque o início de negociações antes de um encontro de líderes da zona do euro, na próxima semana, a tempo de concordar com uma agenda de intenções até junho.

O novo governo alemão, porém, mostra pouca inclinação a revisão a tradicional oposição de Berlim a destinar recursos em um bloco onde muitos membros têm déficits e alto endividamento.

Em Paris, Scholz mostrou-se mais conciliador. Ele disse que o governo alemão saudou as iniciativas do presidente francês como um ponto de partida para as discussões. “Nós temos que fazer progresso com relação à união bancária, é preciso avançar em relação a todas as questões e propostas que estão sobre a mesa”, disse Scholz. “Estamos muito satisfeitos sobre as iniciativas com as quais o presidente francês se comprometeu, que são um bom sinal para a Europa.”

“Nós estamos muito perto de acordos, mas há dificuldades técnicas que têm consequências políticas, financeiras e econômicas muito grandes”, disse por sua vez Le Maire. Fonte: Dow Jones Newswires.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!