Governo federal quer deixar o PNL como um legado para o próximo governante – Jornal do Comércio

Pensado como um legado na área de infraestrutura para o próximo governo, o Plano Nacional de Logística (PNL) será colocado em consulta pública no dia 21, disse Marco Aurélio Barcelos, secretário de Articulação do Programa de Parceria de Investimentos (PPI).

Em evento na tarde desta quinta-feira, Barcelos afirmou que o PNL não será um “power point com centenas de projetos”, mas sim “uma ferramenta, uma metodologia” construída com dados primários fornecidos por diversos órgãos e agências ligados ao setor de infraestrutura. A ideia desse plano é identificar onde estão e estarão os gargalos logísticos no País até 2025, de modo que o próximo governante saiba o que deve manter no radar e priorizar na aplicação do orçamento.

De acordo com o secretário, essa “ferramenta” foi pensada para ser dinâmica e passível de revisões periódicas. Neste momento de consulta pública, o governo realizará roadshows para ouvir críticas e sugestões sobre as premissas adotadas.

“O PNL não vai dizer se tem que ser PPP, concessão, qual é o capex do projeto. É um farol, um guia de onde devem estar vertidas as atenções do poder público, considerando a demanda e os gargalos”, destacou.

Em comentário sobre a carteira de projetos do PPI, Marco Aurélio Barcelos afirmou que o governo segue canalizando todos os esforços para que o cronograma de todos os projetos seja cumprido. “Todos os 75 projetos, até então, têm cronograma ainda previsto para ser concluído em 2018”, reforçou. Ele reconhece, porém, que este é um desafio grande, tendo em vista o calendário eleitoral.

 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!