Polo faz balanço de atividades e deixa o comando da Secretaria da Agricultura – Jornal do Comércio

Em balanço de encerramento de ações realizadas no comando da Secretaria da Agricultura do Estado, cargo que deixará na próxima segunda-feira, quando voltará à Assembleia Legislativa, Ernani Polo listou o andamento de projetos iniciados por ele na pasta ou aos quais deu continuidade. Na lista, não faltaram temas polêmicos, como a terceirização de parte da fiscalização sanitária e a extinção da Fepagro, assim como a difícil venda de unidades da Companhia Estadual de Silos e Armazéns (Cesa), entre outros temas.

Apesar de críticas de diferentes setores, incluindo a área de proteção ao consumidor do Ministério Público Estadual, a terceirização da fiscalização no abate de carnes foi aprovada na Assembleia Legislativa no ano passado e deve ter a primeira turma de veterinários do setor privado começando a atuar em maio. Duas empresas já se credenciaram e indicaram um total de sete veterinários para treinamento e posterior prestação de serviço a frigoríficos.

“Temos hoje 15 novas empresas querendo iniciar os abates, e outras com projetos de ampliação emperrados por falta de pessoal”, diz Polo, defendendo o modelo, que denomina como “modernização”.

Sobre o fim da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro), o balanço revelou que, dos 20 centros espalhados pelo Estado, sete estão em fase de fechamento, esperando apenas por definições sobre o destino de prédios ou terrenos. O secretário da Agricultura, porém, destaca que o trabalho de pesquisa agropecuária continuará sendo feito por meio de um departamento interno e em parceria com entidades como Embrapa e Emater.

No caso da venda de silos e armazéns da Cesa, o secretário antecipa que os leilões agora serão tocados pela Justiça do Trabalho, já que a companhia tem um passivo trabalhista milionário e com possibilidade de redução de até 30% nos valores estipulados anteriormente. Com os novos patamares de preços, a ideia é conseguir atrair interessados. Apesar de inúmeras tentativas, o governo vendeu apenas duas unidades até hoje e ainda precisa se desfazer de outras 10. A maior unidade, a de Passo Fundo, terá o valor reduzido de R$ 22,9 milhões para cerca de R$ 16 milhões, em edital que será lançado em breve.

Polo comemorou, ainda, avanços na contenção da brucelose e tuberculose bovina, a retomada do Fundoleite, a conquista de R$ 67 milhões do governo federal para a compra de máquinas para a secretaria e órgãos vinculados, e a desburocratização de licenças ambientais para a irrigação. “Nesta semana, também resolvemos as pendências com o Ministério da Integração e retomaremos as obras da barragem de Taquarembó (localizada na Metade Sul do Estado)”, assegurou Polo.

 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!