RGE e RGE Sul têm até agosto para pedir fusão – Jornal do Comércio

Desde que assumiu a operação da distribuidora de energia AES Sul em 2016, está no radar da CPFL o agrupamento dessa empresa, hoje chamada de RGE Sul, com a outra concessionária gaúcha controlada pelo grupo, a RGE. O prazo para requerer a fusão na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), para que a medida possa vigorar já no próximo ano, é até agosto.

O presidente da RGE e da RGE Sul, José Carlos Saciloto Tadiello, detalha que a questão, antes disso, será deliberada pelo conselho de administração da CPFL. O executivo adianta que as companhias estão caminhando no sentido da junção. “A nossa ideia é essa, de agrupamento, para que a gente consiga trabalhar com as duas empresas em prol do consumidor, melhorando a logística e aumentando escala”, frisa o dirigente.

Caso o pedido seja feito e a Aneel aceite, as distribuidoras poderão operar como uma única companhia, ganhando em sinergia. “Com isso, será possível utilizar os recursos de uma para auxiliar a outra”, comenta Tadiello. Hoje, por exemplo, se uma região da RGE é acometida por um temporal, a RGE Sul não pode enviar pessoal ou veículos para ajudar a outra empresa do grupo a fazer os reparos necessários, por serem concessões separadas.

A RGE é a concessionária de energia da Região Norte-Nordeste do Rio Grande do Sul e atende a 255 municípios. Já a RGE Sul tem atuação na Região Metropolitana, no Centro e no Leste do Estado, abrangendo 118 cidades. No ano passado, Tadiello informa que foram investidos mais de R$ 750 milhões pelas duas empresas, e, para 2018, de acordo com o dirigente, o montante que será aportado continuará elevado.

 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!