Em dia de cautela global e giro fraco, Ibovespa tem leve alta – Valor

SÃO PAULO  –  A cautela dos investidores em relação à política de juros dos Estados Unidos, a ser definida amanhã pelo Fed, limitou a recuperação do Ibovespa e diminuiu sensivelmente o volume de negociações nesta terça-feira.

O indicador encerrou o dia em alta de 0,3%, aos 84.164 pontos, interrompendo a sequência de cinco quedas consecutivas. O índice registrou pouca oscilação ao longo do pregão: na mínima, chegou aos 83.682 pontos (-0,28%) e, na máxima, aos 84.412 pontos (+0,59%).

Além da baixa volatilidade, o Ibovespa também teve giro financeiro modesto, com R$ 6,45 bilhões, o menor montante para uma sessão em março — até ontem, o volume diário médio de negociações no mês era de R$ 8,9 bilhões.

A preocupação com o futuro da política monetária americana tem diminuído a propensão dos investidores globais ao risco. O mercado dá como certa uma elevação dos juros nos EUA na reunião de amanhã, mas busca sinais a respeito dos próximos passos da autoridade monetária do país: são cogitados cenários com outras duas ou três altas nas taxas ainda em 2018.

Além disso, a postura protecionista do governo Trump, evidenciada pela adoção de tarifas de importação ao aço e alumínio, aumenta a tensão dos mercados globais. Essa combinação influencia o Ibovespa no mês — o índice acumula retração de 1,4% em março, e o saldo da participação estrangeira em bolsa até o último dia 16 estava negativo em R$ 3,97 bilhões.

Apesar da cautela, as blue chips tiveram um desempenho positivo na sessão de hoje. Petrobras PN (+1,1%) teve o maior giro do dia, com R$ 635 milhões, beneficiada pelo avanço nas cotações do petróleo. Vale ON (+1,22%), Itaú Unibanco PN (+0,32%) e Banco do Brasil ON (+0,39%) também terminaram o pregão no azul.

Outro destaque foi o setor de siderurgia, com Gerdau PN (+4,72%), Usiminas PNA (+3,3%) e CSN ON (+1,94%) no campo positivo. Segundo a agência de classificação de risco Moody’s, as empresas devem registrar um 2018 positivo, estando bem posicionadas para aproveitar o crescimento da demanda interna. Além disso, dados positivos divulgados hoje pelo Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda) ajudaram a impulsionar os papéis.

Por outro lado, o segmento de papel e celulose registrou leve retração. Suzano ON (-0,49%) e Fibria ON (-0,17%) passaram por ajustes técnicos após as fortes movimentações dos últimos dois pregões.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!