Bolsas de NY caem após Fed subir meta da taxa de juros – Valor

SÃO PAULO  –  (Atualizada às 18h30) A esperada decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed) confirmou a alta do juro para 1,5% e 1,75% ao ano, mas indicou um ritmo menos agressivo de aperto monetário e veio acompanhada de certa ambiguidade de Jerome Powell, novo presidente da instituição.

Isso trouxe volatilidade ao mercado, com as bolsas de Nova York acelerando os ganhos em um primeiro momento e encerrando o dia em queda. Nos Treasuries, os rendimentos (“yields”) também acentuaram a alta, mas acabaram longe das máximas do dia. 

No fechamento, Dow Jones caiu 0,18%, aos 24.682,31 pontos, o S&P 500 recuou 0,18%, aos 2.711,93 pontos, e o Nasdaq teve perda de 0,26%, aos 7.345,28 pontos.

Nove das dez maiores altas do S&P 500 ocorreram com empresas de energia, com destaque para a Marathon Oil e a Anadarko Petroleum. O movimento foi influenciado pela alta de 2,6% do petróleo – em Nova York o barril foi a US$ 65,17. 

Os papéis da General Mills, fabricante do Cheerios cereais e do iogurte Yoplait, entre outros alimentos, caíram 8,9%, depois da divulgação dos resultados do terceiro trimestre, afetados pelo aumento dos custos de frete. As ações da Kellogg, J. M. Smucker e Post Holdings também caíram.

A performance dos papéis do Facebook, abalada por um escândalo que envolveu a privacidade de 50 milhões de seus usuários, foi de alta de 2,05% na sessão desta quarta. Na segunda (19), as ações da companhia despencaram mais de 6% e, na terça (20), 2,6%. Em dois dias, o Facebook perdeu quase US$ 50 bilhões de seu valor de mercado. 

Fed

Em resumo, o Fed prevê agora menos desemprego e mais crescimento nos Estados Unidos, mas não espera aceleração significativa da inflação. “Não há sinais nos dados de que estamos à beira de uma aceleração da inflação”, disse Powell em sua primeira entrevista à imprensa. A inflação tem ficado por anos abaixo da meta de 2% do Fed.

O Fed manteve a projeção de três altas nos juros neste ano, mas adicionou uma elevação extra em 2019. Além disso, agora sete dos 15 membros do Fed cogitam quatro altas neste ano, contra um cenário de quatro de 16 membros na reunião de dezembro.

Mas, para o mercado, a virada definitiva rumo a quatro apertos na política monetária viria mais cedo. Ontem, a chance de ao menos quatro altas nos juros neste ano estava em torno de 38%, segundo dados do CME Group, recuando a 34% hoje.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!