Fed traz alívio e juros fecham em baixa antes do comunicado do Copom – Jornal do Comércio

Os juros futuros fecharam a sessão regular desta quarta-feira (21) em baixa, um pouco mais firme na ponta longa da curva, acompanhando a reação positiva dos ativos ao resultado da reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, em inglês) do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano). Houve um certo alívio com o fato de o comunicado não ter endossado os receios do mercado em torno de uma sinalização firme de quatro altas de juros nos Estados Unidos este ano no comunicado, o que colocou o dólar em queda de mais de 1% e ajudou no recuo da curva longa.

Os contratos de curto prazo, por sua vez, moveram-se mais comedidamente, com o investidor à espera do comunicado do Comitê de Política Monetária (Copom), que, segundo os analistas, não deve fechar completamente as portas para a queda da Selic nos próximos meses.

A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019 encerrou em 6,455%, de 6,464% no ajuste anterior e a do DI para janeiro de 2020 fechou em 7,39%, de 7,41% no ajuste de terça. A taxa do DI para janeiro de 2021 caiu de 8,30% para 8,25% e a do DI para janeiro de 2023 de 9,16% para 9,09%.

O Fomc, como esperado, elevou o juro dos fed funds em 25 pontos-base, para a faixa entre 1,50% a 1,75%. Logo após o desfecho da reunião, os juros futuros ampliaram a queda que vinham mostrando desde o final da manhã e bateram mínimas.

Posteriormente, devolveram um pouco do movimento, mas preservando o sinal de baixa. Pelo gráfico de pontos do comunicado, seis dirigentes do Federal Reserve preveem que os juros chegarão ao final de 2018 entre 2,00% e 2,50% e seis, entre 2,25% e 2,50%.

“Isso, de certa forma, era o esperado, mas ainda existia quem visse a possibilidade de sinalização firme de quatro altas. Depois, com uma leitura mais detalhada do comunicado, o mercado se equilibrou”, disse o trader da Quantitas Asset Matheus Gallina, destacando que, para 2019, a sinalização do gráfico de pontos para 2019 passou de duas para três elevações nos fed funds.

Nos demais ativos, às 16h41, o dólar à vista batia mínima de R$ 3,2694 (-1,18%) e o Ibovespa subia 0,96%, aos 84.972,61 pontos.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!