Google lança serviço para empresas de jornalismo – Jornal do Comércio

O Google lançou um serviço de assinaturas para empresas de jornalismo. O anúncio foi um dos vários feitos pela empresa na manhã de ontem durante evento em Nova Iorque. Embaladas sob o nome “Google News Iniciative”, as ações incluem mudanças na maneira como a plataforma apresentará conteúdo e financiamento de iniciativas contra desinformação.

No caso das assinaturas, a empresa entrará com tecnologia para aumentar o número de pessoas que pagam por conteúdo jornalístico digital. Isso será feito em duas frentes principais. Na primeira delas, um novo serviço vai permitir que o usuário assine uma publicação usando sua conta do Google, que o manterá logado em todas as plataformas desse veículo.

O Google disse que cobrará das empresas de mídia uma taxa de manutenção pelo uso da ferramenta, mas se recusou a dizer qual será. Será adicionado um espaço na busca para que os assinantes de determinado jornal possam ver em destaque o material produzido por aquele veículo.

A segunda frente anunciada para aumentar a cobrança por conteúdo digital diz respeito ao uso de tecnologia para indicar quem poderia ser um novo consumidor de determinado veículo. O Google entregará ao publisher dados que permitirão individualizar a tentativa de venda de seu conteúdo para cada pessoa.

Mais e mais atacada pelo domínio crescente da publicidade – forma, com o Facebook, o chamado duopólio digital -, a empresa tenta reforçar a mensagem de que está disposta a repartir os ganhos ao longo da cadeia de produção de conteúdo. Diz ter direcionado 10 bilhões de cliques por mês aos publishers em 2017. Além disso, afirma ter distribuído às empresas de mídia US$ 12,6 bilhões – seu faturamento no ano passado foi de US$ 110 bilhões.

“Se vocês não tiverem sucesso, nós não teremos sucesso”, disse Phillipp Schindler, vice-presidente sênior do Google.

 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!