Bolsas da Europa recuam com tarifas dos EUA à China e política monetária – Jornal do Comércio

As principais bolsas europeias fecharam em baixa forte nesta quinta-feira (22), em meio a temores reforçados de uma guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, já que a Casa Branca anunciara desde mais cedo que o presidente Donald Trump assinaria hoje um pacote tarifário bilionário direcionado ao país asiático. Nem a notícia de que a Europa estará isenta da tarifação dos EUA sobre importação de aço e alumínio durante a negociação de um acordo comercial conseguiu tirar as ações da região do terreno negativo. Foi também o primeiro pregão europeu após o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) elevar os juros básicos do país em 0,25 ponto porcentual.

Ainda na seara da política monetária, o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) decidiu manter os juros básicos da economia britânica em 0,50%, conforme esperado por analistas.

O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou a sessão em queda de 1,55%, aos 369,15 pontos. Em meio ao noticiário monetário, o subíndice de bancos fechou com recuo de 2,54%.

Em Londres, o FTSE 100 registrou baixa de 1,23% no pregão de hoje, aos 6.952,59, abaixo da marca psicologicamente importante de 7.000,00 pontos. No setor bancário, as ações do Lloyds cederam 1,64% e as do Barclays caíram 2,10%. Já entre as altas, destacaram-se os papéis da companhia de produtos de limpeza Reckitt Benckiser (+4,78%), que informou ter concluído as negociações na área de saúde para consumidores da farmacêutica americana Pfizer.

O CAC 40, da bolsa de Paris, fechou hoje em queda de 1,38%, aos 5.167,21 pontos. A isenção temporária da Europa das tarifas dos EUA, contudo, levou as ações da siderúrgica ArcelorMittal a uma alta de 1,06%.

Na bolsa de Frankfurt, o DAX 30 encerrou o pregão com recuo de 1,70%, aos 12.100,08 pontos, em um dia com indicadores sobre a economia da Alemanha com resultados abaixo das expectativas de analistas. As ações dos bancos Commerzbank e Deutsche Bank tiveram as duas maiores baixas da sessão, de 6,17% e 2,98%, respectivamente.

Em Madri, o Ibex-35 registrou perda de 1,49%, aos 9.487,40 pontos, enquanto em Lisboa o PSI-20 fechou a sessão com queda de 1,05%, para os 5.373,16 pontos.

O principal índice da bolsa de Milão, FTSE MIB, encerrou em recuo de 1,85%, para 22.397,84 pontos. As ações dos bancos sofreram também nesta praça, como mostram as baixas das ações do Banca Carige (-2,41%), do Intesa Sanpaolo (-1,78%) e do Banco BPM (-1,95%).

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!