Em parceria com Amazon, JPMorgan leva Alexa a Wall Street – Valor

NOVA YORK  –  “Alexa, pergunte ao JPMorgan qual é o preço-alvo da ação da Apple.”

Os clientes institucionais do JPMorgan Chase agora podem obter esta resposta rapidamente da assistente virtual comandada por voz desenvolvida pela Amazon.com. O banco e a gigante de e-commerce fizeram uma parceria para dar aos usuários de Wall Street mais um meio de acessar o conteúdo de pesquisa do JPMorgan.

Alexa envia relatórios de analistas e materiais relacionados. O banco também está testando outros recursos, como informar preços de títulos e contratos de swap, disse David Hudson, responsável global por execução em mercados da instituição sediada em Nova York.

Assistentes de voz “claramente estão se tornando algo a que as pessoas estão se acostumando”, afirmou Hudson. “A ideia é pegar informação que está em algum lugar do banco, que em geral alguém precisa procurar ou que demora ou exige autenticação, e entregar por outro canal.”

À medida que os hábitos dos clientes evoluem, as empresas tentam encontrar maneiras de adaptar tecnologias populares do varejo ao mundo dos negócios. O JPMorgan é um dos primeiros a oferecer Alexa para clientes institucionais, mas outros bancos já usam o serviço nas operações de consumo. A seguradora New York Life Insurance, por exemplo, está montando programas que usam Alexa para seus funcionários.

12.000 corretores

Os consumidores estão mais dispostos a usar assistentes de voz para monitorar suas contas, de acordo com pesquisa conduzida no ano passado pela Bain & Co. De acordo com a consultoria, 6% dos participantes nos Estados Unidos responderam que já usam a tecnologia, mas 27% se disseram abertos a ela.

O Capital One Financial foi o primeiro banco que permitiu a gestão de contas bancárias e cartões de crédito por meio da assistente de voz e vem expandindo o serviço Alexa. Seus usuários podem, por exemplo, perguntar quanto gastaram no website da Amazon na semana passada.

A New York Life lançará recursos da Alexa a seus 12.000 corretores ainda neste ano. O objetivo é ajudá-los a obter detalhes sobre apólices rapidamente e a se preparar para reuniões, explicou Mark Madgett, que chefia os corretores que trabalham em campo. Isso significa que os corretores poderão pedir à Alexa para descobrir o valor do seguro de vida a que um cliente tem direito ou para saber mais sobre produtos recém-lançados pela seguradora.

“Este negócio é muito complicado”, disse Madgett. “Quando comecei, 32 anos atrás, eu tinha cinco produtos à disposição. Hoje existem milhares de permutações em torno das soluções financeiras.”

Mais um projeto

O serviço automatizado do JPMorgan é o mais recente projeto compartilhado entre o maior banco dos EUA e a maior varejista online do mundo. A Amazon já aluga capacidade de computação em nuvem para o JPMorgan e pediu que o banco entrasse em uma concorrência para criar novos produtos para seus clientes, incluindo um cartão de crédito voltado para pequenas empresas.

O projeto Alexa dentro do JPMorgan foi iniciado no ano passado, como parte de uma competição interna para incentivar a inovação. O banco primeiramente deu acesso aos dados da área de pesquisa e depois liberou fluxos de informações de outros departamentos, incluindo custódia e fundos. Esses recursos, agora, estão sendo testados internamente. Se o serviço automatizado der certo, profissionais de vendas da casa não perderão tempo respondendo a perguntas rotineiras.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!