Petróleo opera com viés de baixa, mas mantém maior parte de ganhos recentes – Jornal do Comércio

Os futuros de petróleo operam com viés de baixa nesta manhã de segunda-feira (26), mas mantêm a maior parte dos fortes ganhos que acumularam na semana passada em meio a crescentes riscos políticos.

Às 8h11min (de Brasília), o barril do Brent para maio tinha queda marginal de 0,04% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 70,42, enquanto o do WTI para o mesmo mês recuava 0,17% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 65,77.

Na sexta-feira (23), o Brent fechou acima de US$ 70 por barril pela primeira vez desde o fim de janeiro, e tanto a referência britânica quanto o WTI registraram na última semana seus maiores ganhos desde julho do ano passado. “A geopolítica e crescentes preocupações de que os EUA saiam do acordo (sobre o programa nuclear) do Irã impulsionaram os preços do petróleo para US$ 70 por barril”, segundo Norbert Rücker, chefe de macroeconomia e pesquisa de commodities do banco suíço Julius Baer.

Na semana passada, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou a nomeação de um novo conselheiro de Segurança Nacional que se opõe ao histórico acordo de 2015 – liderado por Washington – destinado a restringir o programa nuclear iraniano. Se os EUA eventualmente abandonarem o pacto, o Irã estará sujeito a nova sanções que podem voltar a prejudicar suas exportações de petróleo e reduzir a oferta global da commodity.

“Do jeito que as coisas estão, é apenas de uma questão de quando, e não se, os EUA se retirarão do acordo e adotarão novas sanções contra o país da Opep”, comentou Stephen Brennock, analista PVM Oil Associates, sobre o acordo de Teerã, referindo-se à Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

Também na semana passada, a Opep sugeriu que poderá manter os esforços atuais de limitar sua oferta até 2019. Por um acordo iniciado no começo do ano passado, a Opep e dez países que não integram o cartel, incluindo a Rússia, têm buscado reduzir sua produção combinada em cerca de 1,8 milhão de barris por dia. A princípio, o acordo é valido até o fim de dezembro. Fonte: Dow Jones Newswires.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!