Caixa não está quebrada, diz vice-presidente do banco – Valor

SÃO PAULO  –  (Atualizada às 12h11) O vice-presidente de finanças da Caixa, Arno Meyer, afirmou que o banco enfrentou críticas na imprensa por sua posição de capital e houve quem dissesse que a instituição estaria quebrada.

“Nada disso é verdadeiro”, disse o executivo, durante entrevista coletiva sobre os resultados da Caixa em 2017. No período, o banco estatal atingiu lucro contábil de R$ 12,5 bilhões.

Segundo Meyer, a questão do capital do banco estatal está equacionada, mas a posição restrita ainda limita as possibilidades de expansão no crédito.

Se as regras de Basileia 3 já estivessem plenamente em vigor, a Caixa teria encerrado o ano passado com 10,6% de capital de nível 1, acima dos 9,5% exigidos para o início de 2019.

“O capital está equacionado, mas com restrição para a concessão de crédito”, disse o executivo. Com a posição atual, a Caixa não tem espaço em seu balanço para acelerar na oferta de financiamentos.

De acordo com Meyer, o banco vem avançando em uma série de indicadores e, pela primeira vez na sua história, terminou o ano com índice de eficiência operacional abaixo do patamar de 50%.

“Ainda é alto, mas para a Caixa é muito importante [a redução]”, afirmou o executivo. O índice de eficiência operacional é utilizado para mensurar quanto a instituição financeira gasta para gerar receita. Desse modo, quanto menor for a relação entre as duas variáveis, mais positivo ele é. 

Resultado “histórico”

O presidente da instituição, Gilberto Occhi, afirmou que afirmou que o resultado é “histórico” e mesmo o lucro recorrente do período, de R$ 8,6 bilhões, “é o melhor dos últimos tempos”. “As consequências desse número serão percebidas em diversos indicadores”, afirmou o executivo, que considera que o ano passado marcou uma melhoria na governança e em todos os indicadores do banco.

“Todos os indicadores nos dão a certeza de que estamos trabalhando no caminho certo”, afirmou. Segundo ele, o banco evoluiu em sua alocação de capital, embora o ano passado tenha sido de ajustes para todas as instituições financeiras. 

Seguros

A Caixa aprovou nesta segunda-feira (26), em assembleia geral extraordinária da Caixa Seguridade, a prorrogação do prazo para finalização das análises referentes às negociações com a francesa CNP Assurances.

A parceria envolve os seguros de vida, prestamista e a área de previdência.

Não foi divulgada, no entanto, a nova data limite.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!