Produtos da Páscoa estão 2,61% mais caros, mostra pesquisa – Jornal do Comércio

A cesta de Páscoa registrou aumento de 2,61% em comparação com o ano passado, segundo pesquisa divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro da Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV/Ibre). A taxa está abaixo da inflação acumulada entre abril de 2017 e março deste ano pelo IPC-10 da FGV, que foi de 2,87%. Entre os alimentos de maior consumo na Páscoa, os que mais tiveram elevação foram: batata-inglesa (16,18%), sardinha em conserva (11,82%) e atum (5,74%).

“Em comparação com 2017, houve aceleração dos preços, mas os principais itens do almoço – bacalhau (-9,37%) e azeite (-0,65%) – apresentaram queda em seus preços, o que pode aliviar as despesas com a ceia. Em 2017, a cesta havia subido 0,36%, e os produtos de Páscoa, este ano, subiram 2,61%”, explica André Braz, coordenador do IPC do FGV/Ibre.

O consumidor deve ficar atento em relação aos preços praticados mais próximos da data. “A pesquisa não mostra, em definitivo, o que o consumidor vai encontrar para a Páscoa. Só medimos o que aconteceu com os preços nos últimos 12 meses até março deste ano. Às vésperas, além desse aumento de 4,79% do pescado fresco já registrado, o preço do peixe pode subir mais, porque a demanda aumenta na véspera da Páscoa”, acrescentou Braz.

 

Além dos tradicionais ovos de chocolate, peixes e bebidas, a Páscoa dos gaúchos, em 2018, deve registrar alta no consumo de roupas infantis e brinquedos. Essa é a expectativa da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS) para a data.

“O elevado preço dos ovos de Páscoa leva o consumidor a apelar para a criatividade na hora de presentear. Muitos pais negociam com seus filhos menores a substituição dos ovos de chocolate por artigos de vestuário e brinquedos. Por isso, observamos o incremento nas vendas de roupas e brinquedos, mostrando que a população está sendo mais racional na compra dos produtos típicos da Páscoa”, destaca o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.

A opção dos consumidores é, cada vez mais, comprar o chocolate em barra e fazer ovos de Páscoa de maneira artesanal, adquirindo os moldes a preços reduzidos nas casas do ramo. Hoje, o preço médio do quilo de chocolate em barra é de R$ 54,00, enquanto o do ovo de Páscoa pode chegar a R$ 317,00.

No Estado, a FCDL-RS projeta um aumento do consumo tematizado com a Páscoa da ordem de 9% a 12% na comparação com o mesmo período de 2017. O tíquete médio dos consumidores para compras de Páscoa deverá ficar ao redor de R$ 135,00, incluindo ovos de chocolate, alimentos típicos da comemoração e presentes.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!