Tombo do Facebook contamina bolsas de Nova Iorque, que voltam a fechar em baixa – Jornal do Comércio

Os mercados acionários americanos encerraram o pregão desta terça-feira (27) em forte baixa, apagando o rali visto na sessão anterior, em meio à investigação sobre o uso ilegal de dados de usuários do Facebook, que afetou ações de companhias de tecnologia. Outros setores foram contaminados com o tombo das techs e afetaram os principais indicadores de ações de Nova Iorque.

O índice Dow Jones fechou em queda de 1,43%, aos 23.857,71 pontos; o S&P 500 perdeu 1,73%, aos 2.612,62 pontos; e o Nasdaq cedeu 2,93%, aos 7.008,81 pontos. Durante o pregão, o Nasdaq chegou a cair mais de 3% e a perder, momentaneamente, o nível dos 7 mil pontos.

As negociações entre Estados Unidos e China em meio às tensões comerciais entre os dois países foram deixadas de lado nesta terça-feira. As investigações em torno do Facebook se aproximaram de uma nova etapa à medida que a imprensa americana noticiou que o executivo-chefe da companhia, Mark Zuckerberg, deve depor no Comitê Judiciário do Senado dos Estados Unidos no início de abril.

A maré baixista do Facebook foi comprovada, após a National Fair Housing Alliance e outros grupos acusarem a companhia de permitir que os anunciantes excluíssem grupos de minorias de gênero, composição familiar e raça. “O Facebook vai resolver um processo de direitos civis, argumentando que tinha um papel passivo nos anúncios. Após os ganhos matinais, essas duas notícias fizeram com que a ação da companhia operasse em baixa”, de acordo com o analista de mídia e telecom Jason Aycock, do SeekingAlpha.

Quem se uniu à maré baixista do Facebook foi o Twitter. Em relatório divulgado nesta terça-feira, a Citron Research afirmou que, de todas as mídias sociais, o Twitter é a mais vulnerável à regulamentação de privacidade. “Espere até que o Senado descubra que o Twitter irá gerar US$ 400 milhões neste ano apenas vendendo dados de usuários, e não com anúncios”, comentou a consultoria. Nesse cenário, o Facebook cedeu 4,90% e o Twitter despencou 12,03%.

O subíndice de tecnologia do S&P 500 terminou o dia em baixa de 3,47%, com queda generalizada das techs. Apple perdeu 2,56%, Netflix cedeu 6,14%, Google recuou 4,47% e Amazon caiu 3,78%.

A volatilidade nas bolsas em Nova Iorque, vista desde o início de fevereiro, pode já estar sendo refletida na economia americana. Segundo o Conference Board, o índice de confiança do consumidor dos EUA caiu de 130,0 em fevereiro para 127,7 em março. Na avaliação do economista-chefe da Pantheon Macroeconomics, Ian Shepherdson, “provavelmente o indicador está começando a sentir o impacto inicial da correção nos preços das ações. Com isso, a confiança provavelmente deve cair nos próximos dois meses”.

Entre as ações que integram o Dow Jones, apenas quatro terminaram em alta: P&G, Verizon, Nike e General Electric (GE). Os papéis da GE, que terminaram em alta de 4,27%, foram beneficiados por relatos de que Warren Buffett estava considerando investir na companhia, já que as ações estão sendo negociadas no nível mais baixo desde 2009.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!