Bolsas asiáticas fecham em baixa, pressionadas por ações de tecnologia – Jornal do Comércio

As bolsas asiáticas fecharam em baixa generalizada nesta quarta-feira (28), revertendo ganhos do pregão anterior, influenciadas principalmente por ações de tecnologia, que reagiram ao tombo que as principais empresas americanas do setor sofreram ontem em Nova Iorque.

Preocupações com a investigação sobre uso ilegal de dados de usuários do Facebook voltaram à tona, levando o Nasdaq a amargar queda de quase 3% ontem e contaminando outras companhias de tecnologia e demais índices acionários de Wall Street.

O mau humor das “techs” se espalhou para a Ásia. Em Tóquio, o índice Nikkei caiu 1,34%, a 21.031,31 pontos, e seu desempenho só não foi pior porque o iene se enfraqueceu em relação ao dólar durante a sessão. Pesaram nos negócios do mercado japonês as ações da operadora móvel SoftBank (-3,8%) e da fabricante de semicondutores Tokyo Electron (-4,44%).

Na capital sul-coreana, Seul, o Kospi voltou a ser influenciado por seu maior componente, a Samsung Electronics (-2,56%), e também recuou 1,34%, a 2.419,29 pontos. Além disso, os dados de avanço do Produto Interno Bruto (PIB) da Coreia do Sul na comparação anual do quarto trimestre foram revisados para baixo, de 3% para 2,8%.

Na bolsa taiwanesa, o Taiex foi prejudicado por fabricantes de chips, como a Taiwan Semiconductor (-2,39%), e caiu 1,10%, a 10.865,66 pontos.

Em Hong Kong, as perdas foram igualmente lideradas por empresas de tecnologia, que levaram o Hang Seng a encerrar o pregão com a queda mais expressiva na região, de 2,50%, a 30.022,53 pontos.

Os mercados chineses seguiram a tendência negativa na Ásia e o Xangai Composto caiu 1,4%, a 3.122,29 pontos. O Shenzhen Composto, que é formado em boa parte por startups com menor valor de mercado, registrou baixa de 0,95%, 1.812,36 pontos.

Também continuam no radar questões relacionadas ao comércio global. Ontem, surgiram relatos de que o governo dos EUA estaria considerando usar uma lei de emergência para limitar investimentos chineses em tecnologias consideradas sensíveis. A notícia não é propriamente nova, uma vez que Washington recentemente bloqueou a aquisição da americana Qualcomm pela Broadcom, que tem sede em Cingapura, mas veio num momento em que americanos e chineses vinham sinalizando o desejo de superar suas desavenças comerciais.

Na Oceania, a bolsa australiana reverteu a recuperação de ontem e fechou em nova mínima em cinco meses e meio. O S&P/ASX 200 caiu 0,73% em Sydney, a 5.789,50 pontos. 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!