Compulsório menor é positivo, mas sem efeito imediato, diz Acrefi – Valor

SÃO PAULO  –  A redução do depósito compulsório anunciada ontem pelo Banco Central (BC) foi feita em um bom momento, mas não terá consequências imediatas. A avaliação é do economista Nicola Tingas, da Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi).

“Acho que estamos em um processo bem-vindo, no momento certo, mas não adianta querer definir que amanhã mudou tudo. Faz parte de um processo”, afirma. Para ele, não é possível prever como o sistema financeiro vai reagir porque o país ainda está em um “contexto indefinido” e, por isso, as instituições estão mais cautelosas.

Na visão do economista, no entanto, a grande capacidade ociosa e a inflação baixa são oportunas para o BC aplicar uma “política monetária de estímulo”. Ele afirma que a demanda das pessoas físicas por crédito vem melhorando desde o último trimestre do ano passado, com redução de endividamento e aumento da confiança.

Pelo lado das empresas, Tingas afirma que “conforme os recursos do compulsório forem convergidos para refinanciar passivos de empresas, isso beneficia todo o sistema”. Segundo ele, uma eventual reestruturação da dívida das empresas, financiada por esses recursos, pode melhorar o fluxo de caixa das companhias e, em última instância, recuperar empregos.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!