Vendas reais em supermercados crescem 0,22% em fevereiro, mostra Abras – Jornal do Comércio

Os supermercados brasileiros registraram crescimento de 0,22% nas vendas em termos reais em fevereiro na comparação com o mesmo mês de 2017, de acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). O número considera o faturamento do setor já descontada a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

No acumulado do primeiro bimestre do ano, as vendas reais registram elevação de 1,57% na comparação com os dois primeiros meses de 2017.

Em termos nominais, houve crescimento de 2,77% nas vendas de fevereiro ante igual mês do ano anterior. No bimestre, o resultado nominal é crescimento de 4,98%.

A Abras destaca que, em fevereiro, o setor de supermercados foi surpreendido porque os preços de alimentos registraram queda, muito embora fosse esperada uma recuperação de preços após a deflação registrada em 2017. O IPCA Alimentos registrou recuo de 0,33% em fevereiro.

A queda de preços de alimentos tem afetado o faturamento dos varejistas porque não há, necessariamente, aumento no volume vendido de forma a compensar perdas com a queda de preço. Além disso, a estrutura de custos do varejo não encolheu na mesma velocidade da queda na receita.

Em razão do impacto da queda de preços, o presidente da Abras, João Sanzovo Neto, afirmou que o resultado de fevereiro ficou abaixo do esperado. Em nota, ele reiterou a expectativa da entidade de alta gradual nos preços de alimentos em 2018.

Os preços de produtos em supermercados brasileiros caíram 1,82% em fevereiro de 2018 na comparação com janeiro do mesmo ano, de acordo com a Abrasmercado, cesta composta por 35 produtos de largo consumo pesquisada pela GfK e analisada pelo Departamento de Economia e Pesquisa da Abras.

O preço total da cesta chegou a R$ 442,88 em fevereiro, ante R$ 451,10 em janeiro. Na comparação com fevereiro de 2017, houve queda de 6,27%.

Entre as maiores altas de fevereiro, estão produtos como cebola, cujo preço subiu 26,1% e ovo, com alta de 2,8%. Já entre as maiores quedas estão a batata, que recuou 5,45%, e o frango congelado, com queda de 4,91%.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!