Dólar e juro futuro se ajustam em baixa de olho em exterior e política – Valor

SÃO PAULO  –  Com menos pressão vinda do exterior, o dólar e os juros futuros iniciam a sessão desta terça-feira oscilando entre a estabilidade e leve queda.

As preocupações sobre a disputa comercial entre China e Estados Unidos ainda pesa no ambiente de negócios, assim como o risco de instabilidade nas ações de tecnologia de Wall Street.

Ainda assim, os ativos de risco – incluindo os brasileiros – se ajustam hoje após fortes perdas no dia anterior. O índice Vix de volatilidade das ações americanas, que serve de termômetro para percepção de risco, caía 3,3% ao redor das 9h40, para 22,83 pontos. 

O respiro nos mercados internacionais também se traduz em valorização de parte das divisas globais e ligadas a commodities contra o dólar. Numa lista das 33 principais divisas globais, apenas 10 perdiam terreno nesta manhã.

No Brasil, às 9h50, o dólar comercial caía 0,22%, a R$ 3,3065, o que matinha o real com desempenho mediano ante os pares internacionais.

O contrato futuro para maio, por sua vez, cedia 0,12%, a R$ 3,3140.

Os juros futuros apontavam para uma direção semelhante. A taxa projetada pelo DI janeiro de 2021 – que costuma ser afetado pelo vaivém no exterior – cedia 4 pontos-base, para 7,990%. E a baixa se estendia para vencimentos mais longos: o DI janeiro de 2029 caía para 9,940%.

No caso doméstico brasileiro, o que deve influenciar o comportamento dos ativos é a cena política. Será retomado amanhã o julgamento do pedido de habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Supremo Tribunal Federal (STF). A posição dos ministros ainda parece estar bastante dividida, com ampla incerteza sobre o voto de Rosa Weber, que pode decidir o placar na Corte. 

No campo econômico, foram conhecidos nesta terça-feira os números da indústria, cuja produção em fevereiro cresceu apenas 0,2%. O resultado ficou aquém do esperado por especialistas, de alta de 0,6%. Os dados indicam que a recuperação da atividade ainda é gradual no país, reiterando a visão de que há espaço neste momento para juros baixos.

Entre os contratos curtos dos DIs, o contrato para janeiro de 2019 tinha taxa de 6,225%, praticamente estável ante o ajuste anterior.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!