Petróleo opera em leve baixa, mesmo em ambiente de menor cautela com comércio – Jornal do Comércio

O petróleo chegou a subir mais cedo, mas não mostra fôlego e opera agora com sinal negativo. Mesmo a melhor perspectiva comercial entre Estados Unidos e China não é suficiente para apoiar os contratos, ao menos por enquanto. O dólar um pouco mais forte ante moedas fortes tende a conter o apetite dos investidores.

Às 8h05min (de Brasília), o petróleo WTI para maio caía 0,33%, a US$ 63,16 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para junho recuava 0,31%, a US$ 67,81 o barril, na ICE.

Os preços recuaram às mínimas em dois meses na quarta-feira, em meio à escalada de tensões comerciais entre EUA e a China. Os contratos, porém, reduziram perdas, após o relatório semanal de estoques da commodity nos EUA na última semana. O Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) informou que os estoques de petróleo dos EUA recuaram 4,6 milhões de barris na última semana, a maior queda semanal desde janeiro, contrariando a previsão dos analistas, de alta de 1 milhão de barris.

Analistas do ING Bank disseram que os números de exportações dos EUA foram mais fortes, enquanto aumentou também a taxa de utilização das refinarias. Ao mesmo tempo, os preços do petróleo são apoiados pela melhora do sentimento nos mercados, diante de sinais de que a disputa comercial entre EUA e China perdeu fôlego, segundo analistas do Commerzbank.

Os observadores do mercado temem ainda uma guerra comercial. Nesse caso, a economia global sofreria e os mercados acionários teriam fortes quedas, o que derrubaria também os preços do petróleo, segundo Tamas Varga, analista da corretora PVM Oil Associates. Agora, há expectativa pelo relatório da Baker Hughes, na sexta-feira, com o número de poços e plataformas de atividade de petróleo nos EUA na última semana. 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!