Aversão ao risco e relatório de emprego derrubam dólar ante divisas fortes – Jornal do Comércio

O dólar recuou ante as moedas fortes nesta sexta-feira (6), pressionado pela forte aversão ao risco que tomou conta dos mercados internacionais após a escalada das tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China. Os números do relatório de emprego (payroll) de março e a fala do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, também influenciaram o movimento.

No final da tarde em Nova Iorque, o dólar caía para 106,87 ienes e recuava para 0,9588 franco suíço. O euro subia para US$ 1,2286.

Ontem à noite, após o fechamento dos mercados de Nova York, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que considera aumentar de US$ 50 bilhões para US$ 150 bilhões o valor estimado de produtos importados da China que seriam alvo de tarifação. Em forte reação, Pequim prometeu “revidar energicamente”.

Na tarde de hoje, o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, reconheceu que as novas investidas de Washington contra produtos chineses aumentam a possibilidade de uma guerra comercial com a China, mas ressaltou que esse não é o objetivo do governo Trump.

A escalada retórica provocou aversão ao risco, com fuga para ativos de segurança. Além disso, dados de emprego dos EUA e os eventuais efeitos na inflação ajudaram a derrubar o dólar.

Pela manhã, o Departamento do Trabalho informou a criação de 103 mil novas vagas, ante previsão de analistas ouvidos pela Dow Jones Newswires de criação de 178 mil postos.

À tarde, em evento em Chicago, Jerome Powell afirmou que a alta gradual de juros deve manter economia dos EUA forte, mas reconheceu que há evidências de que o mercado de trabalho não está excessivamente apertado. Para o presidente do Fed, a discussão sobre eventuais efeitos das sobretarifações na inflação “ainda estão em estágio inicial”.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!