Bolsas asiáticas reagem em baixa a nova ameaça tarifária de Trump contra Pequim – Jornal do Comércio

As bolsas asiáticas voltaram a ficar pressionadas nesta sexta-feira (6), na esteira dos últimos desdobramentos da rixa comercial entre EUA e China. Após o encerramento dos negócios ontem (5) nos mercados acionários de Nova York, que tiveram mais um dia de ganhos, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que está considerando impor tarifas a mais US$ 100 bilhões em produtos chineses, em resposta à iniciativa retaliatória de Pequim no meio da semana.

Nesta madrugada, o governo chinês avisou que “não hesitará em pagar qualquer preço” para defender seus interesses se os EUA adotarem novas medidas comerciais contra a China.

A última cartada de Trump voltou a gerar temores de que venha a ocorrer uma guerra comercial declarada entre as duas maiores economias do mundo, mas alguns investidores ponderaram que seu gesto pode fazer parte da tática de negociação do presidente americano.

Em Tóquio, o Nikkei caiu 0,36% hoje, a 21.567,52 pontos. Na semana, porém, o índice japonês acumulou valorização de 0,53%.

Já o Kospi recuou 0,33% em Seul, a 2.429,58 pontos. Depois que o pregão já havia se encerrado na capital sul-coreana, um tribunal do país condenou a ex-presidente afastada Park Geun-hye a 24 anos de prisão por suposto envolvimento em um escândalo de corrupção.

Os mercados chineses e de Taiwan permaneceram fechados hoje devido a feriados. Em Hong Kong, cuja bolsa não operou ontem, o Hang Seng foi exceção e subiu 1,11%, a 29.844,94 pontos, tentando alcançar os ganhos que a Ásia registrou na véspera. O filipino PSEi, por sua vez, teve queda de 0,95% em Manila, a 7.945,66 pontos.

Na Oceania, a bolsa da Austrália ficou praticamente estável, com baixa de 0,1 ponto no S&P/ASX 200, a 5.788,70 pontos. Ao longo da semana, por outro lado, o índice australiano teve seu primeiro avanço em quatro semanas, de 0,5%.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!