Bolsas de Nova Iorque caem mais de 2% com retomada de tensões entre EUA e China – Jornal do Comércio

Os mercados acionários americanos voltaram a apresentar forte queda nesta sexta-feira (6), à medida que investidores voltaram a pesar a possibilidade de uma guerra comercial entre Estados Unidos e China. Novas medidas comerciais tomadas pelo presidente americano, Donald Trump, contra produtos chineses e a fala de integrantes do governo dos EUA sobre as medidas deram base ao movimento dos mercados.

O índice Dow Jones fechou em baixa de 2,34%, aos 23.932,76 pontos; o S&P 500 recuou 2,19%, aos 2.604,47 pontos; e o Nasdaq cedeu 2,28%, aos 6.915,11 pontos. Na semana, o Dow Jones apresentou alta de 0,21%, mas os outros dois indicadores caíram 0,23% e 0,64%, respectivamente.

As tensões comerciais entre as duas maiores potências mundiais voltaram à tona nos mercados de ações dos EUA. Todos os setores do S&P 500 terminaram o dia em baixa, com o movimento liderado pelo subíndice industrial (-2,73%). No entanto, tecnologia (-2,53%) e financeiro (-2,44%) foram segmentos que não ficaram muito atrás nas perdas porcentuais no pregão desta sexta-feira. Investidores temem que a retórica entre EUA e China possa se traduzir em medidas mais severas e de maior alcance a serem tomadas pelos dois países, o que poderia prejudicar o motor do crescimento econômico global.

Na noite de quinta-feira, Trump determinou que o Escritório do Representante Comercial (USTR, na sigla em inglês) avalie a imposição de tarifas sobre mais US$ 100 bilhões em produtos importados da China. Pouco depois, Pequim disse que irá retaliar caso isso se concretize. O diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, Larry Kudlow, disse que as negociações sérias entre os EUA e a China “ainda não começaram”, mas, até o momento, elas têm sido “insatisfatórias”. Posteriormente, o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, comentou que existe a possibilidade de uma guerra comercial com a China, apesar desse não ser o objetivo.

Além disso, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, também disse nesta sexta-feira que as tarifas impostas pelos EUA podem elevar os preços, mas acrescentou que ainda é cedo para dizer qual o impacto econômico total de uma guerra comercial com a China.

A situação entre EUA e China “poderia ficar mais feia no fim de semana e alguns investidores optaram por vender devido à incerteza”, afirmou o diretor da corretora O’Neil Securitiesa, Kenny Polcari. Para ele, os volumes de negociação baixos também influenciaram, sugerindo que a venda foi impulsionada mais por pequenos traders. “Se o governo acalmar a retórica no fim de semana, então provavelmente haverá uma recuperação nos mercados na segunda-feira”, disse.

Entre grandes bancos, que começam a divulgar balanços na próxima semana, o JPMorgan cedeu 2,49% e o Citigroup caiu 2,31%. Já a Amazon perdeu 3,20% e a Apple teve baixa de 2,56% nesta sexta-feira.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!