Cesta básica da Porto Alegre é a terceira mais cara do País – Jornal do Comércio

No período de março de 2018, a cesta básica em Porto Alegre registrou aumento perto da estabilidade em 0,05%. O valor passa dos R$ 434,50 para R$ 434,70. No ano, a cesta apresentou variação de 1,87% e em 12 meses registrou queda de 0,58%, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Dos 13 produtos que compõem o conjunto de gêneros alimentícios essenciais previstos, sete ficaram mais baratos: a batata (-7,81%), o açúcar (-5,60%), o óleo de soja (-4,02%), o café (-2,25%), o tomate (-2,19%), o feijão (-1,94%) e o pão (-0,59%). Em sentido inverso, seis itens ficaram mais caros: a banana (7,13%), o leite (2,26%), a farinha de trigo (1,93%), o arroz (1,15%), a manteiga (0,21%) e a carne (0,04%). Em março, o preço final representa 49,53% do salário-mínimo.

No ano, quatro itens registraram alta: o tomate (21,04%), a banana (5,27%), a carne (2,94%) e a manteiga (1,53%). Em movimento oposto, oito produtos apresentaram retração: a batata (-15,11%), o açúcar (-10,25%), o feijão (-9,80%), o café (-4,48%), o leite (-4,23%), o óleo de soja (-3,54%), o pão (-1,76%) e o arroz (-1,50%) . A farinha de trigo foi o único item que não registrou variação (0,00%).

No ranking nacional, Porto Alegre ocupa a terceira colocação – entre outras 20 capitais – como uma das cestas básicas mais caras no Brasil. Os gaúchos ficam atrás somente do Rio de Janeiro (líder) e de São Paulo.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!