Juros encerram em alta moderada em dia tenso com cena política e exterior – Jornal do Comércio

Os juros futuros encerraram a sessão regular desta sexta-feira em alta, mas distantes das máximas intraday observadas pela manhã. O nervosismo com a cena eleitoral e com o noticiário acerca da prisão decretada para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi, parcialmente, dissipada no turno da tarde. Persistiu, porém, o temor a disputa entre EUA e China, sobretudo após declarações do secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, no meio da tarde.

Sobre a cena política, um operador afirmou que o maior problema não é a prisão ou não de Lula: é a duração do ambiente político perturbado. “O ambiente de incerteza vai perdurar por muito mais tempo, estando o ex-presidente preso ou não”, diz o profissional.

Mnuchin admitiu a possibilidade de guerra comercial com a China, o que levou a uma forte desvalorização das bolsas em NY, ao enfraquecimento do dólar perante as pares desenvolvidas e também a uma busca por segurança na renda fixa dos EUA, que exibiu taxas em forte queda no mercado de T-Notes.

No encerramento da sessão regular, o DI para janeiro de 2019 marcava 6,255% ante 6,244% no ajuste de ontem. Na máxima intraday, marcou 6,270%. O DI para janeiro de 2020 exibia 7,08% ante 7,04% no ajuste anterior. Na máxima intraday, marcou 7,090%. O DI para janeiro de 2021 fechou a 8,09% ante 8,022% no ajuste anterior. Na máxima intraday, marcou 8,11%. O DI para janeiro de 2023 encerrou a sessão regular a 9,15%, de 9,052% no ajuste de ontem. Na máxima intraday, marcou 9,19%. O DI para janeiro de 2025 fechou a 9,67% ante 9,562% no ajuste anterior. Na máxima intraday, marcou 9,72%.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!