Produção de veículos em março é a maior desde 2014 – Jornal do Comércio

A produção de veículos no Brasil, que tem crescido gradualmente desde 2017, depois de uma queda acumulada de cerca de 30% em 2015 e 2016, conseguiu chegar a março deste ano a um volume próximo ao do início da crise econômica. É o que mostra balanço divulgado pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) nesta quinta-feira.

Foram fabricadas 267,5 mil unidades no terceiro mês de 2018, entre automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus, o maior volume mensal desde outubro de 2014, quando a recessão da economia dava seus primeiros sinais. O resultado representa crescimento de 13,5% em relação a igual mês do ano passado e de 25,3% na comparação com fevereiro.

Os volumes do primeiro trimestre também se aproximam do início da crise. De janeiro a março deste ano, a produção somou 699,6 mil unidades, um crescimento de 14,6% em relação ao resultado do primeiro trimestre do ano passado. O setor também superou as 663 mil unidades produzidas no primeiro trimestre de 2015. No entanto, ainda está longe de alcançar o resultado alcançado no primeiro trimestre de 2014, de 791,6 mil unidades.

Por segmento, os automóveis e comerciais leves, juntos, somaram 254,6 mil unidades fabricadas em março, avanço de 11,7% em relação a março do ano passado e de 25,1% ante o volume do mês anterior. No primeiro trimestre, a expansão é de 13,1%, para 668,3 mil unidades.

Entre os pesados, foram 9,9 mil caminhões produzidos no mês passado, alta de 67,1% ante igual mês de 2017 e de 28% sobre o volume de fevereiro. O segmento acumula aumento de 55,1% no ano até março, para 24,4 mil unidades.

No caso dos ônibus, as montadoras produziram 2,8 mil unidades no terceiro mês do ano, crescimento de 68% sobre o resultado de igual mês do ano passado e de 34,4% em relação a fevereiro. No ano, o segmento acumula alta de 67,4%, para 6,8 mil unidades.

Com o aumento na produção em todos os segmentos, as montadoras têm aberto vagas de emprego. Só em março, 800 postos de trabalho foram criados pelo setor.

Considerando os últimos 12 meses, são 4.335 vagas a mais. Com isso, a indústria conta, atualmente, com 131.221 funcionários, alta de 3,4% em relação ao nível de março do ano passado.

Os emplacamentos de veículos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros veículos) cresceram 32,45% em março em relação a fevereiro, totalizando 15.893 unidades, segundo os dados divulgados, nesta quinta-feira, pelo Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos (Sincodiv/Fenabrave-RS). No primeiro trimestre deste ano, o setor acumulou 42.330 unidades emplacadas, o que representa 16,43% a mais que o total do mesmo período do ano passado.

Os licenciamentos de automóveis e comerciais leves apresentaram alta de 33,90% em março, totalizando 11.905 unidades, contra 8.891 em fevereiro. Se comparado com março d2 2017, o resultado aponta alta de 12,82%. No acumulado do primeiro trimestre, esses segmentos apresentaram alta de 16,22%, ante idêntico período do ano passado, totalizando 31.443 unidades.

O mercado de caminhões apresentou índices significativos de recuperação nos primeiros meses de 2018. Em março, foram licenciados 441 caminhões, contra 293 no mês anterior, alta de 50,51%. Na comparação com março de 2017, a alta foi de 59,21%. No primeiro trimestre, os números do setor foram 51,68% superiores aos do mesmo período do ano passado, com o total de 1.083 unidades emplacadas.

O cenário do segmento de motocicletas, em março, também apontou retomada das vendas, com elevação de 30,17% sobre fevereiro, totalizando 2.498 unidades emplacadas. Na comparação com março do ano passado, houve alta de 7,72%, em função dos dois dias úteis a menos. Porém, as vendas diárias registraram aumento. No acumulado dos três primeiros meses deste ano, as 6.776 motos emplacadas representaram crescimento de 16,81% sobre as vendas dos mesmos meses de 2017.

O segmento de implementos rodoviários também apresentou alta, em março, de 46,43% sobre fevereiro; no trimestre, o avanço foi de 52,04%, e, na comparação de março de 2018 com março de 2017, a alta fechou em 33,70%.

Em praticamente todos os segmentos, o Estado apresentou índice de crescimento superior ao contabilizado no Brasil. Em comparação ao mês anterior, o crescimento foi de 32,45% no Rio Grande do Sul, enquanto que, no Brasil, foi de 29,8% positivo.

“As vendas de veículos acima da média no Rio Grande do Sul têm guarida, principalmente, no desempenho das commodities e no esforço da rede de distribuição de veículos em aproveitar, de forma qualificada, as oportunidades de negócios,” avaliou Fernando Esbroglio, presidente do Sincodiv/Fenabrave-RS.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!