B3 dá primeiro passo rumo à Argentina com parceria para serviço de tecnologia – Jornal do Comércio

Com participação acionária em quatro bolsas na América Latina – México, Chile, Colômbia e Peru – a B3 acaba de firmar um acordo com a argentina BYMA (Bolsas y Mercados Argentinos), para a qual prestará serviços de tecnologia. O acordo prevê que a BYMA atuará no mercado de derivativos local utilizando a plataforma Puma Trading System da B3. Agora, a expectativa do mercado é de que o próximo passo seja a compra de participação acionária da BYMA pela B3.

A bolsa de valores argentina estava inclusa no projeto de internacionalização da bolsa brasileira, até então a BM&FBovespa, que previa a aquisição de participações minoritárias nas bolsas de valores na América Latina até o limite regulatório de cada país. Dos países colocados como alvo, Argentina é a única na qual a B3 não tem uma fatia.

Uma das razões que era apontada para a Argentina ter ficado para trás nesse projeto era o fato do mercado na Argentina ainda ser fragmentado e com a existência de mais de uma bolsa de valores e que a bolsa brasileira deveria aguardar o processo de integração que estava em curso. A própria BYMA é fruto desse trabalho, que integrou algumas bolsas de valores do país.

“A B3 está muito honrada por firmar esse acordo de desenvolvimento com a BYMA e com a oportunidade de atuar ainda mais próxima do mercado argentino, tão importante para a nossa região”, destaca o diretor de Desenvolvimento de Mercados para a América Latina da B3, Roberto Belchior.

O início da prestação de serviços à BYMA depende ainda da autorização dos reguladores dos mercados de capitais argentino e brasileiro.

O projeto de internacionalização da B3, desde 2014, foi anunciado colocando como meta diminuir os volumes de negociação da América Latina que migram para outros mercados, como Estados Unidos e Europa. Além disso, o projeto mirava o oferecimento de serviços pela bolsa brasileira. Além do Puma, como o acertado com a BYMA, poderia ser oferecida ainda a clearing integrada com o novo sistema de risco da companhia.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!