Bolsas de Nova Iorque perdem fôlego após investida do FBI contra advogado de Trump – Jornal do Comércio

Os mercados acionários americanos apresentaram forte alta no pregão desta segunda-feira (9), mas perderam o fôlego durante a sessão, chegando a renovar mínimas nos minutos finais. Apesar do otimismo com as negociações comerciais entre Estados Unidos e China e com as perspectivas de crescimento em solo americano, estimativas de déficit dos EUA e a investigação envolvendo pagamento de propina a uma atriz pornô pelo advogado pessoal de Donald Trump pesaram nas ações.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,19%, aos 23.979,10 pontos; o S&P 500 avançou 0,33%, aos 2.613,16 pontos; e o Nasdaq subiu 0,51%, aos 6.950,34 pontos.

O ímpeto comprador nas bolsas em Nova Iorque perdeu fôlego ao longo da tarde desta segunda-feira. No início do dia, a perspectiva de amenização da retórica tarifária entre Washington e Pequim fez com que os investidores voltassem às compras no começo da sessão. Com isso, os índices apagaram parte da forte queda registrada na sessão de sexta-feira, quando a ameaça de uma guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo motivou uma busca por segurança.

“Apesar da volatilidade nos mercados, o cenário parece construtivo e, no que diz respeito ao comércio, devemos alcançar uma solução negociada relativamente benigna depois de fortes retóricas”, afirmou o estrategista-chefe de investimentos do Morgan Stanley, Mike Wilson. O banco americano não está sozinho em pensar que as duas maiores potências mundiais chegarão a um acordo.

Para a agência de classificação de risco Fitch, a retórica tarifária entre EUA e China deve dar espaço para uma solução negociada, “que deve ter efeito limitado sobre as perspectivas de crescimento de curto prazo”. Tendo isso em mente, a Fitch manteve a estimativa de expansão do PIB americano inalterada em 2,7%, “com as perspectivas econômicas de curto prazo melhorando ao lado de políticas fiscais frouxas, crescimento salarial e melhoria do investimento”.

As perspectivas de crescimento forte em solo americano foram validadas pelo Escritório de Orçamento do Congresso dos EUA (CBO, na sigla em inglês). De acordo com a agência apartidária, os estímulos empregados pelo presidente dos EUA, Donald Trump, devem fazer o crescimento econômico saltar acima de 3% neste ano No entanto, a aceleração tende a ser temporária e, de acordo com o CBO, o déficit orçamentário se encaminha para totalizar US$ 1 trilhão em 2020, enquanto a dívida pública deve atingir 96,2% do PIB americano em 2028.

No fim da sessão, os ganhos mostraram fôlego menor, com os principais indicadores acionários em Nova York renovando mínimas nos minutos finais do pregão. O movimento veio após o New York Times informar que o FBI recolheu documentos do escritório de Michael Cohen, advogado pessoal de Trump, relacionados à atriz pornô Stormy Daniels. Ela teria recebido dinheiro de Cohen para esconder a relação que teve com o presidente americano.

Entre os setores, as techs novamente foram beneficiadas. O subíndice de tecnologia do S&P 500 apresentou alta de 0,78%. Entre as gigantes do segmento, Google ganhou 1,00% e Facebook avançou 0,46%, após Mark Zuckerberg, o diretor executivo da companhia, reafirmar o compromisso de evitar manipulação eleitoral. Ele irá depor no Congresso americano na terça e na quarta-feira.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!