Dólar sobe 0,67%, e bolsa cai – Jornal do Comércio

A aversão ao risco no mercado internacional e a postura cautelosa do investidor com o cenário doméstico levaram o dólar ao seu maior valor ante o real em quase 10 meses na sexta-feira, dia 6. Lá fora, o temor dos efeitos de uma guerra comercial que se desenha entre EUA e China derrubou as bolsas de Nova Iorque e fortaleceu a moeda norte-americana ante divisas de países emergentes e exportadores de commodities.

No mercado à vista, o dólar fechou em alta de 0,67%, cotado a R$ 3,3630, maior cotação desde 18 de maio do ano passado. Foram movimentados US$ 2,5 bilhões.

As indefinições da cena política interna, com relação à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e o recrudescimento da tensão comercial entre EUA e China azedaram o humor da bolsa doméstica durante toda a sexta-feira. Internamente, as quedas em torno de 9% das ações da Eletrobras no pregão de hoje também contribuíram para a baixa local. No entanto, perto do final da sessão, o ritmo de queda arrefeceu, e a bolsa não só se recuperou como se firmou no patamar dos 84 mil pontos.

O índice à vista fechou em queda de 0,46%, aos 84.820 pontos. O giro financeiro foi de R$ 9,704 bilhões. Na semana, o Ibovespa recuou 0,64%.

 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!