Fatia de famílias endividadas cai em março no Rio Grande do Sul – Jornal do Comércio

O Rio Grande do Sul registra recuo de famílias endividadas em março. A fatia de quem está com compromissos ficou em 68,2%, abaixo dos 73,9% de fevereiro, indicou a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada nesta segunda-feira (9) pela Fecomércio-RS.

A entidade atribuiu a redução do endividamento à recuperação do mercado de trabalho, “apesar de ocorrer via criação de vagas informais e por conta própria”. O presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn, ponderou, mesmo assim, que o indicador está acima dos níveis pré-crise, quando houve aumento das concessões de crédito às pessoas físicas. “O nível de famílias com dívidas em atraso e sem condições de regularizar suas dívidas não preocupa”, comenta Bohn.

Em 12 meses, caiu a parcela da renda comprometida com dívidas, atingindo 32,5%, ante 32,8% de fevereiro. Mas, por outro lado, os gaúchos com contas em atraso passaram de 31%, em março de 2017, para 41% em março deste ano, com alta mais relevante para os grupos com renda acima de 10 salários mínimos. Já o número de famílias admitindo que não terão condições de honrar suas dívidas vencidas no prazo de 30 dias recuou de 14,1%, há 12 meses, para 7,8% em março último.

O tempo médio de comprometimento com dívidas se manteve estável em 7,9 meses no mesmo período. O cartão de crédito tem maior peso no endividamento dos gaúchos (78,3%), seguido por carnês (36,2%), crédito pessoal (21,7%) e financiamento de veículos (12,3%). 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!