Bolsas de NY têm forte alta após China suavizar tom protecionista – Valor

SÃO PAULO  –  As bolsas de Nova York adotaram forte otimismo nesta terça-feira (10) depois de a China suavizar a retórica protecionista e indicar maior abertura da economia. Na segunda (9), o clima mais tranquilo já rondava os mercados, embora em Nova York o noticiário político tenha atrapalhado os negócios no fim da sessão. 

No fechamento, o Dow Jones subiu 1,79%, aos 24.408,00 pontos, o S&P 500 avançou 1,675%, aos 2.656,87 pontos, e o Nasdaq ganhou 2,07%, aos 7.094,30 pontos.

Destaques

Os ganhos foram generalizados nas bolsas americanas, com alta em nove dos 11 segmentos do S&P 500 e em 28 das 30 ações do Dow Jones. As companhias de energia puxaram o desempenho, com ganho de 3,3%, na esteira da forte valorização do petróleo, seguidas pelas empresas de tecnologia (+2,5%). 

O Facebook registrou avanço de 4,5%, num dia em que seu presidente, Mark Zuckerberg, testemunhou no Senado americano sobre o escândalo de invasão de privacidade de milhões de seus usuários envolvendo a empresa de análise de dados Cambridge Analytica (CA), que trabalhou para a campanha presidencial de Donald Trump.

Os preços do petróleo fecharam em forte alta, com o Brent, referência global para a commodity, atingindo o maior valor em mais de três anos. Além da questão comercial, o risco crescente de uma guerra na Síria influenciou as cotações. Os contratos do Brent para junho terminaram em alta de 3,5%, a US$ 71,04 por barril, na ICE, em Londres — o maior valor desde dezembro de 2014. Já o WTI para maio avançou 3,3%, a US$ 65,51 por barril, o maior nível de fechamento desde 26 de março.

China

O presidente chinês, Xi Jinping, adotou, nesta terça, um tom conciliador e diminuiu a percepção de uma disputa comercial com os Estados Unidos. “Em um mundo que aspira a paz e o desenvolvimento, a mentalidade da Guerra Fria e do jogo de soma zero parece ainda mais deslocada”, disse durante o Fórum de Boao, encontro de lideranças políticas e empresariais da Ásia equivalente ao Fórum de Davos.

Xi Jinping afirmou que vai suavizar restrições à propriedade estrangeira nos setores de automóveis, industrial e financeiro. A maior parte dessas medidas já havia sido mencionada anteriormente, mas a ausência de qualquer menção à ofensivas protecionistas acabou prevalecendo na leitura dos investidores.

Apesar do aceno favorável, a Casa Branca pediu ações concretas do governante chinês. Paralelamente, a China iniciou formalmente, hoje, nova disputa contra os EUA na Organização Mundial do Comércio (OMC) por causa da sobretaxa imposta por Donald Trump às importações de aço e alumínio.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!