Inflação da terceira idade avança 0,89% até março – Jornal do Comércio

A inflação sentida pela população idosa desacelerou o ritmo de alta de 1,18% no quarto trimestre do ano passado para 0,89% no primeiro trimestre deste ano, informou ontem a Fundação Getulio Vargas (FGV). O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i), que mede a variação da cesta de consumo de famílias majoritariamente compostas por indivíduos com mais de 60 anos de idade, acumulou uma alta de 3,30% em 12 meses.

A variação de preços percebida pela terceira idade ficou acima da taxa de 2,76% acumulada em 12 meses pelo Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que apura a inflação média percebida pelas famílias com renda mensal entre um e 33 salários-mínimos.

Na passagem do quarto trimestre de 2017 para o primeiro trimestre de 2018, cinco das oito classes de despesas tiveram taxas de variação mais baixas. O destaque partiu do grupo habitação, cuja taxa passou de 1,21% para 0,07%, sob influência do item tarifa de eletricidade residencial, que saiu de uma alta de 4,14% para uma queda de 2,05% no período.

Os demais decréscimos ocorreram nos grupos transportes (de 2,51% para 1,61%); educação, leitura e recreação (de 1,11% para 0,73%); comunicação (de 0,20% para -0,13%); e despesas diversas (de 0,65% para 0,62%). Houve contribuição dos itens tarifa de táxi (de 9,68% para -6,79%); excursão e tour (de 5,55% para -1,65%); TV por assinatura (de 4,08% para -0,42%); e cigarros (de 1,23% para -0,24%).

As taxas foram mais elevadas nos grupos alimentação (de 0,45% para 1,41%); saúde e cuidados pessoais (de 1,47% para 1,59%); e vestuário (de -0,07% para -0,02%), sob pressão de itens como hortaliças e legumes (de 7,60% para 16,55%); artigos de higiene e cuidado pessoal (de -0,39% para 0,01%); e calçados (de -0,83% para 0,76%).

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), usado no reajuste dos contratos de aluguel, teve inflação de 0,18%, na primeira prévia de abril, taxa inferior à apurada em março (0,60%). Com a prévia de abril, o IGP-M acumula taxas de inflação de 1,65% no ano e de 1,49% em 12 meses, de acordo com a Fundação Getulio Vargas (FGV).

A queda da taxa da prévia de março para a de abril foi provocada pelos preços no atacado, pois o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) recuou de 0,83% na prévia de março para 0,14% na de abril.

Por outro lado, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede o varejo, subiu de 0,17% em março para 0,22% em abril. O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu de 0,23% para 0,34% no período.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!