Taxas futuras de juros seguem em baixa com dólar e varejo fraco – Jornal do Comércio

Os juros futuros seguem em baixa, na esteira da queda do dólar e dos fracos dados de varejo do País, que amparam a percepção de que a recuperação da atividade econômica ainda é lenta. O instituto registrou queda de 0,20% nas vendas de varejo em fevereiro ante janeiro, na série com ajuste sazonal. Segundo um operador, esse resultado ajuda a tirar prêmio de risco nas taxas mais longas.

No câmbio, há uma realização de ganhos recentes, após o presidente do Banco Central ter afirmado na quinta que a autoridade monetária tem as reservas internacionais, atualmente em US$ 383 bilhões, e estoque de swaps, próximo de US$ 24 bilhões, para fazer frente à volatilidade do mercado. “Temos o suficiente de reservas e de swaps para enfrentar qualquer cenário à frente”, disse.

Em abril, o dólar à vista segue carregando ganhos ao redor de 2,00% ante o real. Os investidores olham ainda a queda da moeda americana frente a algumas divisas ligadas a commodities no exterior, como peso chileno, peso mexicano, rublo e lira turca.

Às 9h39min desta quinta, o DI para janeiro de 2019 marcava 6,255%, de 6,259% no ajuste de quarta. O DI para janeiro de 2020 exibia 7,01%, de 7,06%, enquanto o vencimento para janeiro de 2021 mostrava 8,03%, de 8,09% no ajuste anterior. Já o DI para janeiro de 2023 estava em 9,11%, de 9,16% no ajuste de ontem. No câmbio, o dólar à vista caía 0,30%, aos R$ 3,3759, enquanto o dólar para maio tenta recuperação modesta, aos R$ 3,3815 (+0,04%).

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!