Diretor da Aneel apoia fim de térmicas da CGTEE – Jornal do Comércio

As mais antigas usinas a carvão da CGTEE no Estado (Nutepa, em Porto Alegre; São Jerônimo, no município de mesmo nome; e as fases A e B do complexo Presidente Médici, em Candiota) seguem no caminho de oficializar o fim das atividades. A nova medida, nesse sentido, é o voto do diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone da Nóbrega, relator do processo dentro do órgão regulador, de recomendação ao Ministério de Minas e Energia da extinção das concessões dessas térmicas.

A questão precisa passar pela aprovação dos outros diretores da Aneel e será submetida à apreciação nesta terça-feira, durante reunião pública. Os empreendimentos acumulam décadas de atividades e começaram a enfrentar dificuldades operacionais com o desgaste gerado com o passar do tempo. A CGTEE, em julho do ano passado, solicitou a extinção dessas concessões. Apesar desse processo ainda estar sendo desenrolado, na prática, o sistema elétrico nacional já não pode contar com a produção dessas termelétricas.

As três usinas foram objeto de ações da Superintendência de Fiscalização dos Serviços de Geração (SFG) da Aneel que redundaram em suspensão da operação das unidades. A geração da Nutepa foi a primeira a ser interrompida, em 2011. A última máquina de São Jerônimo teve a paralisação decretada em 2014, e as fases A e B do complexo termelétrico de Candiota tiveram sobrevida até o ano passado. Essas duas estruturas somam uma potência instalada de 446 MW; a Nutepa, de 24 MW; e a São Jerônimo, de 20 MW. O total desses 490 MW equivale a, aproximadamente, 12% da demanda média de eletricidade dos gaúchos. A CGTEE conta, também em Candiota, com a operação de uma usina mais jovem, a Fase C, de 350 MW de potência, inaugurada em 2011.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!