Crise leva brasileiro a fazer mais tarefas domsticas – Jornal do Comércio

Em 2017, aumentou o nmero de brasileiros que dedicaram parte de seu tempo a afazeres domsticos e ao cuidado de crianas. Embora o crescimento tenha sido maior entre os homens, as mulheres ainda gastam o dobro do tempo com tarefas do lar.

A constatao de pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica) sobre formas no remuneradas de trabalho, divulgada ontem com base em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domiclio Contnua – Outras Formas de Trabalho (Pnad-C).

De acordo com o instituto, o percentual de brasileiros com mais de 14 anos que informaram ter feito tarefas domsticas ou cuidado de outros moradores ou parentes na semana da pesquisa subiu 4%, de 82,7% para 86%.

Na avaliao do IBGE, a perda de rendimento do trabalhador pode ter levado as pessoas a terem que se dedicar mais a tarefas domsticas. O crescimento foi maior entre a populao ocupada.

“Pode ser um movimento conjuntural: as famlias esto com renda menor, e no d para pagar diarista, no d para pagar bab, ento esto fazendo mais tarefas domsticas”, disse a pesquisadora do IBGE Alessandra Brito.

Em 2017, a renda do trabalhador brasileiro caiu, em mdia 2%, para R$ 2.178,00. Alessandra lembra que a crise afetou particularmente o trabalhador com carteira assinada e que o recuo do desemprego no fim do ano se deu pelo aumento dos trabalhadores por conta prpria.

“Apesar de a ocupao no ter cado, essa populao se inseriu em vnculos de menor rendimento”, comentou ela, ressaltando que o fechamento de vagas foi mais intenso em setores de predominncia masculina, como indstria e construo civil.

A taxa de realizao de afazeres domsticos ou de cuidados com moradores cresceu mais entre os homens (de 74,1% para 78,7%) do que entre as mulheres (90,6% para 92,6%).

Mas a diferena permanece grande, principalmente se considerado o nmero de horas dedicadas s tarefas do lar: as mulheres disseram ter dedicado 20,9 horas em afazeres domsticos ou cuidados com pessoas, contra apenas 10,8 horas gastas por homens.

Mesmo as que trabalham gastaram muito mais tempo: 18,1 horas, contra 12 horas dos homens no ocupados. “Os homens fazem mais do que em anos anteriores, mas as mulheres continuam dedicando muito mais horas”, disse a pesquisadora do IBGE.

Somando a mdia de horas trabalhadas fora de casa e em tarefas do lar, as mulheres trabalharam trs horas a mais do que os homens na semana da pesquisa (53,2 contra 50,2).

O crescimento da participao masculina em atividades do lar se deu principalmente na realizao de afazeres domsticos, j que, no indicador de cuidados com outros moradores, a participao masculina ficou estvel.

A taxa de realizao de afazeres domsticos cresceu de 81,2% para 84,4%. Entre os homens, 76,4% disseram ter realizado alguma tarefa, alta de 6,2%. Entre as mulheres, o aumento foi de 2,1%, para 91,7%.

Os homens tm participao mais efetiva em tarefas como pequenos reparos e manuteno, organizao do domiclio, cuidado com animais e fazer compras. A preparao de alimentos (95,6% das mulheres e 59,8% dos homens) e as atividades de limpeza (90,7% contra 56%) continuam sendo atividades majoritariamente femininas.

Subiu de 26,9% para 31,5% o nmero de brasileiros que dedicam parte de seu tempo a cuidar de outros moradores no domiclio ou de parentes no moradores, um aumento de 8,3 milhes de pessoas.

O aumento ocorreu com maior intensidade entre as pessoas ocupadas (de 28,2% para 33,7%) e no cuidado de crianas e adolescentes entre 6 e 14 anos (de 48,1% para 49,7%).

As mulheres ainda so majoritrias no auxlio aos cuidados pessoais e nas atividades educacionais. Entre as atividades, o aumento foi maior em ler, jogar e brincar, e monitorar ou fazer companhia dentro de casa, nas quais a diferena entre a participao masculina e feminina menor (73,3% a 77,3%, e 87,3% a 91,4%).

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!