Movimento nos EUA limita ganho para o Ibovespa – Valor

SÃO PAULO  –  O Ibovespa acompanhou o movimento sem força das bolsas no exterior e encerrou praticamente estável. O desempenho “mais parado” do mercado foi causado pela pressão dos juros dos Treasuries nos Estados Unidos, para perto de 3%, que leva os investidores a reduzir a demanda por risco em ativos de renda variável no mundo.

Após ajustes, o principal índice da bolsa teve leve avanço de 0,06%, aos 85.602 pontos. O Ibovespa oscila próximo à resistência em 85.600 pontos há três pregões consecutivos e tem dificuldades de firmar uma tendência.

O giro financeiro, também relativamente pequeno, foi de R$ 6,4 bilhões hoje. Um operador reforça que o volume fraco em bolsa demonstra a falta de argumentos para que os investidores elevem ou reduzam posições agora.

O Ibovespa tem, no mês de abril, uma oscilação pequena, de 0,3%, sem grandes catalisadores na frente externa e doméstica. Hoje, no entanto, a alta dos retornos dos Treasuries voltou a prejudicar o mercado, inclusive no caso das bolsas americanas.

“Quando lá fora teve uma melhora pontual, nosso mercado acompanhou. Na sequência, os mercados lá fora pioraram, então voltamos a cair. No fim, a bolsa ficou no zero a zero”, diz um operador.

De um lado, o foi mais negativo para as estatais da bolsa, como Banco do Brasil caindo 1,81%, Eletrobras ON cedendo 0,44% e Eletrobras PNB recuando 0,47%. De outro lado, Itaú Unibanco PN — ação de maior participação no Ibovespa — subiu 0,18%. No caso de Petrobras, o movimento ficou dividido: a ON caiu 0,33%, enquanto a PN subiu 0,54%.

Em dia de movimento mais limitado, o noticiário corporativo voltou a ser destaque. A Kroton liderou as altas (+5,26%) durante todo o dia, depois de ter anunciado a compra da Somos Educação. Rodrigo Galindo, presidente da Kroton, afirmou hoje que os planos de aquisição de colégios continuam após o negócio.

As varejistas também voltaram ao destaque, depois que relatório do BTG Pactual afirmou que, apesar da tendência de desaceleração, o momento para o setor ainda é sólido — Lojas Americanas (+3,36%), Magazine Luiza (+3,05%) e Pão de Açúcar (+2,90%) também ficaram entre as maiores altas do dia.

Na ponta oposta, a Hypera (-5,60%) se manteve na maior baixa, ainda em meio aos receios do investidor depois que executivos da companhia foram implicados em operação da Polícia Federal.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!