Fabricante de bebida de cannabis quer abrir capital neste ano – Valor

LONDRES  –  A Dixie Brands, fabricante de bebidas à base de maconha dos Estados Unidos, avalia abrir o capital no final deste ano ou no início do próximo ano já que busca capital para expansão e aquisições.

A empresa, que ainda não concedeu mandato a bancos, está de olho em uma listagem no Canadá, disse o CEO Chuck Smith em uma entrevista na quinta-feira (26), durante a conferência Cannabis Invest U.K., em Londres. A Dixie terá cerca de US$ 20 milhões em receita neste ano e em torno de US$ 50 milhões em 2019, disse Smith.

“Precisamos de acesso ao capital e precisamos de liquidez porque esse crescimento é muito caro”, disse Smith, que fundou a empresa em 2009 e continua sendo seu acionista majoritário. “Continuaremos adquirindo ou inovando marcas.”

A Dixie, que tem sede em Denver e produz limonadas de frutas vermelhas, cerveja de raiz e chocolates com cannabis, encerrou uma rodada de financiamento de US$ 4 milhões neste mês, com planos de expandir as operações para mais dez estados dos EUA. Atualmente, a companhia atua em quatro estados americanos, incluindo Colorado e Califórnia.

Investidores de maconha

A possibilidade de abrir o capital surge num momento em que investidores estão apostando em ações relativas à maconha no Canadá. A produtora Green Organic Dutchman Holdings anunciou, nesta semana, que aumentará o alcance de sua IPO em até 15% depois de ter captado facilmente os 100 milhões de dólares canadenses (US$ 78 milhões) que buscou no mês passado.

Os produtores estão optando por abrir o capital no Canadá porque a maconha é proibida pela lei federal dos EUA, tanto para uso medicinal quanto para uso recreativo. O uso medicinal da cannabis é legal em todo o Canadá, e a legalização federal do uso recreativo deve entrar em vigor no terceiro trimestre.

Nos EUA, a opinião pública está tendendo para a legalização, e 64% dos americanos a defendem, de acordo com uma pesquisa realizada pela Gallup em outubro. Este é o maior percentual desde que o grupo começou a perguntar sobre o assunto em 1969, quando a taxa de aprovação foi de 12%.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!