Ministrio Pblico questiona RGE sobre aumento de 19% nas tarifas de energia – Jornal do Comércio

O Ministério Público do Rio Grande do Sul instaurou procedimento para apurar a proposta de aumento de mais de 19% na conta de luz de clientes da RGE no Estado. A concessionária atende a 1,4 milhão de consumidores de 255 municípios gaúchos. O procedimento foi comunicado pela promotora Janaína de Carli dos Santos durante Audiência Pública que discute o atual processo de Revisão Tarifária, em Caxias do Sul.

A definição em torno do aumento sairá em 12 de junho e o novo tarifário passará a vigorar no dia 19 de junho. Se aprovados, os índices sugeridos pela Aneel resultarão em aumento de 19,73% para os clientes residenciais; 19,05% para as indústrias e, no caso mais severo, 19,77% para os usuários da baixa tensão, onde se inclui boa parte do comércio. O aumento médio de 19,5% representaria um impacto de cerca de R$ 800 milhões, apenas entre junho de 2018 e maio de 2019, estima o Conselho de Consumidores da RGE.

“Oficiamos a RGE para apresentar suas planilhas e a Aneel a se manifestar sobre a análise que levou a esta proposta. Quando estas informações chegarem, vamos submetê-las à avaliação da assessoria econômica do MP”, afirmou Janaína, em nota. No momento, corre prazo para que distribuidora e agência reguladora apresentem suas respostas.

Até o dia 12 de maio, ainda é possível se manifestar a respeito do aumento. Entidades representativas e consumidores individuais devem enviar suas contribuições diretamente à Aneel. Os interessados devem enviar e-mails para os endereços: ap016_2018rv@aneel.gov.br, ap016_2018et@aneel.gov.br, ap016_2018pt@aneel.gov.br, ap016_2018ic@aneel.gov.br.

Um dos principais questionamentos por parte do Conselho de Consumidores envolve a taxa de juros que remunera os investimentos realizados pela distribuidora nos últimos cinco anos. A Aneel alterou as regras de cálculo anteriormente previstas e manteve o índice em 8,09%. A expectativa da entidade que representa os contribuintes, diante das sucessivas quedas na taxa Selic e da tentativa de recuperação econômica do país, era que o valor fosse reduzido para a faixa de 7,5%. Como atenuante, a rediscussão da fórmula foi antecipada para 2019.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!