Petrleo fecha em alta, monitorando destino do acordo nuclear com Ir – Jornal do Comércio

Os contratos futuros de petróleo abandonaram a leve queda vista mais cedo e fecharam em alta nesta segunda-feira (30) enquanto os agentes do mercado continuaram focados no destino do acordo nuclear com o Irã, o que ganhou força com um discurso do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para entrega em junho fechou em alta de 0,69%, a US$ 68,57 por barril. Já na Intercontinental Exchange (ICE), o barril do petróleo Brent para julho avançou 1,22%, a US$ 74,69. O contrato do Brent para junho, que venceu nesta segunda-feira, subiu 0,71%, a US$ 75,17.

O destino do acordo nuclear internacional com o Irã foi o centro das atenções no mercado de petróleo dias antes da decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre permanecer ou não no pacto. Trump disse que tomará a decisão antes do prazo de 12 de maio e analistas e investidores esperam, cada vez mais, que ele retire os EUA do acordo internacional para conter o programa nuclear iraniano. Tal movimento acionaria a imposição de sanções econômicas ao país persa, pesando em sua produção de petróleo e reduzindo ainda mais a oferta global da commodity.

Netanyahu fez uma apresentação em Tel-Aviv, onde afirmou ter provas de que o programa nuclear de Teerã está progredindo, apesar das limitações impostas pelo acordo internacional. De acordo com o premiê israelense, o Irã está “mentindo descaradamente” sobre o programa nuclear. Além disso, ele afirmou que as informações foram compartilhadas com os EUA, que, por sua vez, já verificaram a autenticidade dos arquivos.

“Israel tentou argumentar que os EUA deveriam impor sanções adicionais ao Irã, o que impactaria as exportações de petróleo iraniano e apertaria ainda mais o mercado”, afirmou o presidente da Lipow Oil Associated, Andy Lipow.

O risco geopolítico de fornecimento ajudou o Brent a romper temporariamente a marca simbólica de US$ 75 por barril pela primeira vez desde o fim de 2014. “No geral, há apenas um tema no mercado: Irã x Trump”, disse o estrategista-chefe de commodities do Saxo Bank, Ole Hansen.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!